“Dá para tirar um salário de R$ 2 mil a R$ 2,5 mil, fora o aluguel do carro”, informou Osvaldelei Custódio da Cruz, presidente da Associação que representa os motoristas de aplicativos – Foto: Divulgação

 

Com a baixa oferta de vagas de emprego, muitas pessoas têm optado por trabalhar como motoristas de aplicativos, o que se não substitui o dito emprego, tem possibilitado que centenas de homens e mulheres consigam dessa forma o sustento de suas famílias. Ao todo, cerca de 600 pessoas trabalham como motoristas de aplicativos somente em Rondonópolis e, mesmo com os baixos preços cobrados pelas viagens, ainda tem valido muito a pena para essas pessoas.

Segundo o presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Rondonópolis e Região, Osvaldelei Custódio da Cruz, existem cerca de 600 motoristas cadastrados pelos aplicativos na cidade, mas isso não significa que esse número de trabalhadores esteja simultaneamente na rua. “Esse número de motoristas na rua é flutuante. São vários aplicativos e no momento em que um entra o outro sai, tem aqueles que arrumam emprego e param, tem aqueles que já tem um emprego e só trabalham nos finais de semana. Dessa forma, tem dia que tem mais, tem dia que tem menos”, explicou.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

Ainda segundo ele, há também o caso dos motoristas que escolhem o trabalho como sua profissão e ficam por todos os dias nas ruas e por mais horas diárias que aqueles que vêm no trabalho uma fonte de complemento de renda, assim como aqueles que alugam um carro e trabalham por 12 ou mais horas diárias para poder pagar o aluguel do veículo e ainda obter algum ganho com a atividade.

“Não são muitos que trabalham com carros alugados, é minoria, mas se eles trabalharem mais tempo, dá para tirar um salário de R$ 2 mil a R$ 2,5 mil, fora o aluguel do carro. Com isso, dá para pagar o mercado, o aluguel. Já quem tem veículo próprio pode até dobrar isso, mas aí vai depender do tempo que ele trabalha. Mas normalmente quem tem o veículo próprio trabalha um pouco menos, pois usa o aplicativo apenas como um complemento da renda, porque normalmente em outra ocupação”, continuou o representante dos motoristas de aplicativos.

Com relação à desconfiança de alguns e às conversas que surgem falando sobre motoristas que trabalhariam até usando tornozeleiras, ele é taxativo ao afirmar que isso não seja possível. “Eu desconheço algum caso, pois a primeira coisa que a empresa do aplicativo faz é consultar a ficha criminal dos motoristas e, se eles tiverem algum processo na justiça, não conseguem se cadastrar. Mas nós temos conhecimento de que há pessoa trabalhando clandestinamente como motorista de aplicativo, sem estar cadastrado em nenhum aplicativo”, concluiu.

Ainda segundo o presidente da Associação, além de gerar uma renda para pessoas desempregadas ou um complemento para aquelas que já estejam empregadas, o serviço de motoristas de aplicativos injeta mensalmente cerca de R$ 2 milhões na economia local e é uma excelente opção para os usuários, pois normalmente o preço das corridas fica por cerca de metade do preço que seria cobrado por um táxi.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Onde ele mora mesmo, quero ir trabalhar lá pra ganhar R$ 4.100 por mês bruto, tá de sacanagem, trabalhei com carro alugado trabalho hoje com carro próprio e não é não fico parado e não ganho esse valor é nem uma outra pessoa, mostra o lançamento semanal que vc ganhou isso eu o desafio, isso é uma inrresponsabilidade que pode causar um endividamento de um pai de família.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here