Valdemir Castilho, o Biliu, e vereador Fábio Cardozo, acreditam que mais de dez vereadores da atual legislatura podem mudar de partido – (Foto: Arquivo)

 

A maioria das chapas de pré-candidatos a vereadores que irão disputar as eleições municipais no dia 4 de outubro deste ano estará formada até o dia 4 de abril deste ano. “Ocorre que pela legislação eleitoral vigente quem for concorrer às eleições deve estar filiado seis meses antes das eleições, ou seja, até o dia 4 de abril, pois as eleições é no dia 4 de outubro. Cada um estando filiado em seus respectivos partidos, automaticamente, já saberemos as coligações de pré-candidatos a vereadores que irão concorrer”, disse Valdemir Castilho, o Biliu, presidente do PTB.

Ele explica que outra data importante que impulsiona a definição das chapas proporcionais é o dia 31 de março. “Em 1º de março abre a janela partidária para aqueles vereadores que forem disputar a eleições troquem de partido sem a perda do mandato. No dia 31 de março este prazo se encerra. É neste enceramento que muitos vereadores já estarão acomodados nas siglas que irão concorrer às eleições e esta acomodação de quem busca a reeleição também acaba definindo a formação das chapas”, externou.

Para Biliu e também para o vereador Fábio Cardozo, que é liderança no PDT, é possível que mais de dez vereadores da atual legislatura na Câmara Municipal migrem de seus partidos para outros durante o período da janela partidária. “Existem vários vereadores que seus partidos ainda não trabalharam o grupo de nomes para concorrer às eleições e alcançar o coeficiente eleitoral. Agora para buscar a reeleição, estes vereadores terão que buscar outros partidos”, disse. “O vereador que não conseguir montar chapa terá que mudar de partido para sobreviver em seu projeto de reeleição. Na Câmara acredito que dez vereadores estão nesta situação”, revelou o vereador Fábio Cardozo.

Nas eleições deste ano começam a vigorar várias regras da última reforma eleitoral e no código eleitoral, a exemplo das coligações que agora vão ser possíveis somente para os cargos majoritários, ou seja, a disputa para prefeito. Com o fim das coligações, vão se eleger os candidatos mais votados dentro dos seus partidos, desde que o partido consiga atingir o quociente eleitoral.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here