1 – SENHORES E SENHORAS,

esta é a primeira coluna do ano, depois do período de férias deste colunista, e como já acompanhamos pelo A TRIBUNA o ano de 2020 já começou bastante movimentado, tanto para o poder executivo, tanto para o legislativo.

Isso devido as declarações do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) com a sua ação de vetar todas as emendas propostas pelos vereadores ao orçamento municipal e ainda gravar um vídeo ao lado do deputado federal dr. Leonardo (SD), fazendo referências ao legislativo municipal de que os vereadores teriam inviabilizado o orçamento de 2020.

Mas tão logo depois dessas declarações, Pátio se arrependeu de tal atitude, já que na primeira sessão ordinária da Câmara compareceu na abertura dos trabalhos da Casa de Leis, coisa que não é comum. Em nossa opinião, o prefeito percebeu o estrago político que fez e resolveu amenizar o erro. Será que antes destas declarações ele esqueceu que 2020 é ano eleitoral e precisa é aglutinar forças e não dividir?.

No meio político, para muitos tais declarações de Pátio ainda é um enigma, mas ao logo das próximas semanas iremos trazer várias avaliações que talvez incentivaram o prefeito a atacar a Câmara desta forma e tentar impedir o legislativo de fazer o seu papel que neste caso foi adequar o orçamento municipal com várias emendas.

 

2 – AINDA

falando em Zé do Pátio, a coluna avalia que o prefeito já está fazendo a política do “já ganhou”, pois nos bastidores políticos ele está convicto que vai conseguir a reeleição, pois não acredita que existe uma união muito forte da oposição para lhe tirar a reeleição de prefeito. Pátio está tão certo da vitória que acredita que daqui dois anos irá disputar as eleições estaduais e se tonar governador de Mato Grosso.

Tal fato se confirma pela estratégia que está sendo colocada por ele. Pátio está cogitando colocar como seu candidato a vice-prefeito o seu atual secretário de habitação, Paulo José Correa, o qual é seu homem de confiança. Na sua estratégia, sendo assim reeleito, após dois anos acredita que estará pronto para disputar as eleições e ganhar para governador, e com o seu vice Paulo José assumindo a Prefeitura, ele, Pátio, ainda terá o poder sobre a segunda maior economia do Estado.

Assim, o governador José Carlos do Pátio será também o prefeito de Rondonópolis. Taí, não seria nada mal para nós rondonopolitanos, que sempre somos ignorados pelo governador de plantão no Paiaguás!

Paulo José: “É o homem de confiança de Zé do Pátio e poderá ser seu candidato a vice-prefeito nas próximas nas eleições, para assumir depois a Prefeitura…”

 

 

PROMETEMOS

nas próximas edições da Coluna apresentarmos várias situações da disputa municipal. Uma coisa é certa, o nome a ser batido é do prefeito Zé Carlos do Pátio, que hoje é o favorito para a reeleição, e ele tá rezando para que seus opositores lancem vários candidatos para dividirem os votos da oposição. Aliás, como ocorreu na eleição passada quando Rogério e Percival dividiram os votos e ele, Pátio, correndo por fora, chegou na frente.

 

3 – COMO JÁ FALAMOS

aqui na Coluna no ano passado, nem tudo são flores para o prefeito Zé do Pátio, o qual responde a uma série de processos por improbidade administrativa e pelo menos dois deles poderão lhe deixar inelegível, e logo o candidato a prefeito do grupo passaria a ser o mesmo Paulo José da “Habitação”. Será que teremos o primeiro prefeito negro da nossa cidade?

Aqui vale registrar que muita coisa na gestão de Zé do Pátio tem dado certo graças ao empenho de Paulo José, um homem de ampla experiência em projetos e conhecedor dos trâmites legais e também das articulações em Brasília para execução de vários projetos, como a maioria dos conjuntos habitacionais que foram instalados na cidade na última década.

 

4 – O GRUPO POLÍTICO

que trabalha pela união de uma única candidatura de oposição à reeleição do prefeito Zé Carlos do Pátio, parece firme e forte. Vem se mantendo até mais do que outros grupos com quase a mesma finalidade em outras eleições, mas não foram tão longe.

Na última reunião do grupo que vem ocorrendo quase que semanalmente, ficou definido que o “Habemus candidato a prefeito de oposição”, está quase para sair da chaminé. Ocorre que o grupo tem nomes de pré-candidatos robustos, mas somente uma pesquisa já encomendada é que apontará ainda neste semestre o nome que vai para o embate político com Zé do Pátio.
Estamos ansiosos aguardando o desenrolar dos fatos.

 

5 – APESAR

de várias expectativas deste meio político, este “Habemus candidato a prefeito de oposição” não sabemos até quando será anunciado, mas deverá sair mesmo neste semestre, pois o Tribunal Regional Eleitoral estipulou por meio de minuta para o dia 26 de abril, a eleição suplementar ao Senado em Mato Grosso e ai devem fi car defi nidos quem serão os candidatos ao Senado e para o pleito municipal.

Este pleito vai interferir em muitas articulações para as eleições municipais. A data, porém, só será confirmada após votação em plenário do TRE que deve ocorrer nesta segunda-feira 20 de janeiro, quando o Judiciário retorna de recesso. A eleição suplementar foi defi nida após a cassação da senadora Selma Arruda (Podemos) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 10 de dezembro. Conforme a portaria do TSE, o pleito para suprir a vaga ao Senado poderia ser realizada nos dias 2 de fevereiro, 8 de março, 26 de abril, 10 de maio e 21 junho.

 

HOJE

mais de 20 nomes estão colocados em Mato Grosso para entrar na disputar pela vaga do Senado Federal: Abílio Brunini (PSC), Adilton Sachetti (PRB), Carlos Abicalil (PT), Carlos Fávaro (PSD), Cidinho Santos (PL), Dilmar Dal’Bosco (DEM), Eduardo Botelho (DEM), Elizeu Nascimento (DC), Júlio Campos (DEM), Juca do Guaraná (Avante), Lucimar Campos (DEM), Lúdio Cabral (PT), Mauro Carvalho (chefe da Casa Civil), Max Russi (PSB), Neurilan Fragra (PL), Nilson Leitão (PSDB), Otaviano Pivetta (PDT), Pedro Taques (PSDB), Victório Galli (Patriota) e Silvio Fávero (PSL).

 

2 COMENTÁRIOS

  1. O candidato que está despontando em todas as pesquisas muito a frente de todos os outros, Deputado Zé Medeiros , não aparece na relação deste jornal. Deve ser porque o Zé Medeiros ediferente dos outros políticos, é honesto e não paga taxa de zêlo para nenhum veiculo de imprensa, incluso este jornal. É por isso que ele não aparece na lista.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here