O espaço de lazer da Vila Cardoso será um dos beneficiados com a decisão – (Foto: Arquivo)

 

A Prefeitura de Rondonópolis irá investir o dinheiro que seria aplicado na construção do Parque Encontro das Águas Lamartine da Nóbrega, que está paralisada desde o final do ano passado, na reforma de doze praças em diversos bairros da cidade. A relocação dos recursos, que fazem parte do Fundo Municipal do Meio Ambiente, já foram aprovados pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente (Consema) e as reformas das praças serão licitadas nos próximos dias.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, João Copetti Bohrer, os projetos de reforma dessas praças já estavam prontos há algum tempo, e como as obras do novo Parque estão paralisadas, ficou decidido que os R$ 3.987.116,41 que seriam destinados a essa obra foram realocados para a reforma das ditas praças.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

“A ideia é melhorar a questão ambiental, ajustamento vegetal de algumas dessas áreas, assim como nas estruturas já existentes nessas praças para a prática de esportes. A ideia de revitalização dessas áreas já vem de longa data, pois sabemos que falta investimentos na manutenção das estruturas desses espaços. Já é feito a limpeza, a poda da grama, mas faltava a melhoria dessas estruturas, para proporcionar maior qualidade de vida para a população, que reflete na diminuição de gastos coma saúde pública”, explicou.

 

Construção do Parque Encontro das Águas Lamartine da Nóbrega, que está paralisada desde o final do ano passado, agora fica indefinida – (Foto: Arquivo)

 

Ele ainda complementou informando que, além desses recursos, outros fundos vinculados a outras secretarias também dispõem de dinheiro que, da mesma forma, serão investidos na revitalização de outras praças, além das doze anunciadas agora. “O Município irá utilizar na arborização dessas áreas espécies nativas e frutíferas, para oferecer frutas e sombra para os moradores, mas principalmente para a biota local, pois árvores frutíferas têm flores, que atraem insetos, que atraem aves, que atraem pequenos roedores, fortalecendo essa relação ecológica e desmistificando a ideia de que a cidade é um ambiente estéril, morto. Ao contrário, tem muito mais vida do que a gente pode imaginar e será para isso que servirão essas intervenções”, concluiu.

 

Praça de Nova Galileia – (Foto: Arquivo)

 

Nesse primeiro momento, serão contempladas as praças dos seguintes bairros da cidade: Jardim Gramado, Marechal Rondon, Cidade de Deus, Pedra 90, Santa Cruz, Vila Cardoso, Vila Operária, Jardim Atlântico, Pedro Casaldáliga, e os distritos de Boa Vista e Nova Galiléia.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui