Segurança Bruno de Lima Pereira, preso pelo assassinato de Renecléia Aparecida Bispo – (Foto: Arquivo)

A audiência realizada ontem (14) que poderia pronunciar ou não a júri popular o segurança Bruno de Lima Pereira, 27 anos, preso pelo assassinato de Renecléia Aparecida Bispo, 41 anos, ocorrido no dia 24 de setembro do ano passado, na portaria do condomínio Village do Cerrado, foi dividida em duas etapas. A segunda etapa ainda será agendada pela Justiça.

Segundo Júnior Mendonça, advogado de defesa do acusado, a audiência foi dividida porque parte das testemunhas de defesa não foram ouvidas ontem, pois não foram localizadas pela Justiça. “Foram ouvidas cinco testemunhas de acusação e uma de defesa. Para a defesa, não existe divergência na acusação, mas sim na condição psíquica do acusado”, disse Júnior Mendonça.

A primeira audiência sobre o caso ocorreu ontem, por volta das 15 horas, na 1ª Vara Criminal no Fórum local. “Quando todas as testemunhas forem ouvidas, por último será ouvido o réu. Após isso, ocorrerá os debates entre defesa e acusação. Em seguida, o juiz decidirá se o réu irá ou não a júri popular”, externou o advogado de defesa.

De acordo com o advogado Júnior Mendonça, que defende o acusado, a defesa irá tentar provar em juízo a insanidade mental de seu cliente na época do fato. O segurança é acusado de matar Renecléia Aparecida Bispo dentro do condomínio de luxo com pelo menos 10 tiros.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here