Os números mostram que Rondonópolis segue em franco crescimento, continua mantendo a vice-liderança do PIB em Mato Grosso, ficando apenas atrás de Cuiabá – (Foto: Márcio Moura)

 

O setor de serviços foi o grande responsável por alavancar o Produto Interno Bruto (PIB) de Rondonópolis, conforme os dados que foram divulgados ontem (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A análise é retroativa há dois anos, portanto, os dados divulgados dizem respeito à movimentação econômica de 2017.

A cidade de Rondonópolis registrou um PIB de R$ 9.598 bilhões, tendo assim um incremento de R$ 180 milhões com relação ao ano anterior, já que em 2016 registrou a cifra de R$ 9.418 bilhões. O PIB per capita, isto é, a soma da riqueza dividida pelo número de habitantes, chegou a R$ 43.024,92 em Rondonópolis em 2016. Já em 2017, conforme os dados divulgados ontem, chegou a R$ 43.175,13.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

No valor adicionado bruto a preços correntes, o setor de Serviços puxou a fila na liderança do PIB de Rondonópolis em 2017, alcançando a marca de R$ 4.560.757,13. Em seguida, o setor de Indústria, com R$ 2.179.006,13, seguido pelos setores de administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social, com R$ 1.279.572,02. Já a Agropecuária, movimentou R$ 228.067,70.

Os números mostram que a cidade segue em franco crescimento, continua mantendo a vice-liderança do PIB em Mato Grosso, ficando apenas atrás de Cuiabá. Além disso, chama a atenção o crescimento da economia de Rondonópolis entre 2002 e 2017. O PIB da cidade passou de R$ 1,315 bilhão para R$ 9,598 bilhões. Considerando o período entre 2010 e 2017, o PIB de Rondonópolis quase que dobrou. Em 2010, o PIB de Rondonópolis era da ordem de R$ 4,812 bilhões.

MATO GROSSO

O PIB de Mato Grosso chegou a R$ 126,8 bilhões, o que corresponde a uma alta de 2,42% na comparação com 2016, que foi de R$ 123,83 bilhões.

Pela ordem, os 10 municípios com maiores PIBs em 2017 foram: Cuiabá, R$ 23,3 bilhões; Rondonópolis, R$ 9,5 bilhões; Várzea Grande, R$ 7,8 bilhões; Sorriso, R$ 5,7 bilhões; Sinop, R$ 5,6 bilhões; Lucas do Rio Verde, R$ 3,7 bilhões; Primavera do Leste, R$ 3,4 bilhões; Tangará da Serra, R$ 3 bilhões; Campo Novo do Parecis, R$ 2,9 bilhões e Nova Mutum, R$ 2,7 bilhões.

O município de Araguainha tem o menor PIB do estado. Em 2017, a soma de tudo o que foi produzido naquele ano foi de R$ 19,5 milhões.

BRASIL

O Produto Interno Bruto brasileiro cresceu 1,0% em 2017, na primeira alta após dois anos consecutivos de retração. Em valores correntes, o PIB em 2017 foi de R$ 6,6 trilhões. O resultado mostra que a economia brasileira começou a se recuperar em 2017, mas ainda não repõe as perdas da atividade econômica na crise. Em 2016 e 2015, o PIB recuou 3,5% sobre o ano anterior, na maior recessão da história recente do país.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here