“Se for para deixar desse jeito que está, era melhor nem ter começado a obra agora”, reclamou o morador Elenilton Pereira, mostrando o estado caótico das ruas do bairro – (Foto: Divulgação)

 

Moradores do Parque São Jorge estão insatisfeitos com o enorme lamaçal deixado nas ruas daquela comunidade pela obra de pavimentação das vias do bairro. A obra teve início há cerca de dois meses e começou num bom ritmo, mas está praticamente paralisada desde o início do período chuvoso, deixando para trás ruas e avenidas com o seu leito revirado pelas máquinas e muita terra solta, que vira um enorme lamaçal quando chove.

Conforme o morador Elenilton Pereira, a obra teria sido iniciada há pouco menos de dois meses, tendo inclusive concluído o trabalho em algumas ruas, mas as restantes foram deixadas de lado, o que estaria gerando incômodo para a comunidade. “O pessoal quase não tem vindo trabalhar e as ruas ficaram desse jeito, pura lama, pois eles deixaram um monte de terra nas esquinas para não descer água quando chove, e aí só passa de moto. Os carros têm que desviar, pois essas lombadas viraram um atoleiro. Várias ruas já têm até meio-fio, mas muitas têm apenas a terra compactada e eles não terminam logo. Está difícil desse jeito”, reclamou.

Revoltado com a situação, já que está praticamente impedido de entrar com seu veículo na sua casa, o morador cobra providências da prefeitura. “Se for para deixar desse jeito que está, era melhor nem ter começado a obra agora e ter esperado a chuva passar. A gente tem que ficar desviando e há muita lama e atoleiros nas nossas ruas. Quando seca um pouco e tentamos passar, o carro raspa embaixo e é perigoso estragar. Hoje mesmo (ontem), o pessoal veio de manhã e trabalhou umas duas horinhas e foi embora. Meio-dia já não tinha mais ninguém e têm dias que eles nem aparecem aqui”, completou.

OUTRO LADO

Procurada para se pronunciar sobre o caso, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra) informou que a obra não está paralisada e que o asfaltamento teria sido feito primeiramente nas ruas que não necessitam de drenagem, para somente depois passarem para as ruas que necessitam do serviço de drenagem. O órgão também lembrou que as condições climáticas podem alterar um pouco o ritmo da obra que está sendo executada.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Não podemos entender por que carga dágua Rondonópolis inicia 1.000 obras, principalmente no início das chuvas e não termina nenhuma. Que tipo de gestão pública é essa? O Bairro Colina Verde continua cheio de lama devido a inundação desses dias quando o bairro inteiro foi inundado com água, lama e pedras devido os serviços inacabados junto à Av. dos Estudantes. Vergonha, descaso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here