A inserção da criança na instituição da Educação Infantil representa uma das oportunidades dela ampliar os seus conhecimentos na sua nova fase de vida, ela vivencia aprendizagens inéditas que passam a compor seu universo, que envolve uma diversidade de relações e de atitudes; maneiras alternativas de comunicação entre as pessoas; o estabelecimento de regras e de limites e um conjunto de valores culturais e morais que são transmitidos a elas.

O brincar é a essência da infância e seu uso permite o trabalho pedagógico que possibilita a produção do conhecimento e também a estimulação da afetividade na criança. A função educativa da brincadeira oportuniza a aprendizagem do indivíduo, seu saber, seu conhecimento e sua compreensão do mundo. Sendo assim os jogos e as brincadeiras são uma forma de interação e aproximação entre as crianças. Esse tipo de atividade é fundamental para os pequenos. A infância é uma das fases mais especiais da vida de cada um. Isso porque é nela que passamos as melhores e mais divertidas situações. As brincadeiras e os jogos da infância ficam marcados de forma única. Portanto, as atividades lúdicas tornam-se envolvente e favorece a construção de significados de conhecimentos próprios do mundo da criança.

O brincar é, portanto, uma atividade natural, espontânea e necessária para criança, constituindo-se em uma peça importantíssima a sua formação seu papel transcende o mero controle de habilidades. É muito mais abrangente. Sua importância é notável, já que, por meio dessas atividades, a criança constrói o seu próprio mundo. (SANTOS, 1995, p.4).

Os jogos e as brincadeiras, se usados adequadamente, contribuem significativamente na construção e compreensão do conhecimento, é uma atividade essencial no desenvolvimento e na aprendizagem da criança, é importante que o professor conheça cada tipo e seu objetivo, para promover um trabalho de qualidade nesse aspecto. É brincando e jogando que a criança ordena tudo que está à sua volta, adquirindo experiência e informações e, sobretudo construindo atitudes e valores, conhecendo o meio que a cerca. O ser que brinca e joga é também o ser que age, sente, pensa, aprende, se envolve fisicamente, mentalmente e socialmente. Assim a brincadeira possibilita sempre uma experiência original, reveladora, única, mesmo que as crianças estejam repetindo a mesma pela milésima vez. Desta forma a brincadeira é a plena realização da imprevisibilidade. Por isso, a participação em jogos contribui para a formação de atitudes sociais, respeito mútuo, solidariedade, cooperação, obediência às regras, senso de responsabilidade, iniciativa pessoal e grupal.

Enfim, as crianças mostram através dos jogos e brincadeiras uma percepção de si, o que possibilita também observar o outro e assim facilitar o convívio social e o processo de construção do conhecimento.

(*) Deize Marques da Silva e Sandra Maisa Pina Borges, professoras da rede municipal de educação

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here