Reunião ocorreu ontem no Centro de Eventos do CIE – (Foto: Roberto Nunes/A TRIBUNA)

 

Representantes das entidades que lutam em prol da Santa Casa e a própria diretoria do hospital, avaliaram ontem (12), em reunião no Centro de Eventos do CIE, que o Rotary Clube não tem condições de estar à frente do hospital filantrópico.

“O Rotary Clube não tem condições de tocar a Santa Casa da forma como ela está. A proposta do Rotary para a criação do estatuto de Fundação é uma ideia simples e do mesmo modelo que tem hoje que é impossível de administrar o hospital, a não ser que haja algum milagre financeiro que eles enxergaram e nós não. Nós fizemos as análises que nos levaram a conduzir as propostas corretas para gestão, organização, administração e transparência das contas da Santa Casa. Esta decisão do Rotary nos dá a impressão que estão tentando manter o hospital do jeito que está”, disse a empresária Tânia Balbinotti.

“Acredito que alguns representantes do Rotary tomaram esta decisão porque acham que foram fundadores da entidade, mas não têm a dimensão do que a Santa Casa é hoje e do que ela necessita, que é de gente técnica, uma reforma de gestão onde se contrataria um administrativo, um financeiro e um operacional contratados pela diretoria para poder realmente administrar o hospital”, atestou José Osiris Grama Hoeppner.

“O que nós precisamos hoje para a Santa Casa é de uma gestão mais ampla, com participação social, pois é isso que o grupo de entidades pediu, os nossos parlamentares e a sociedade pedem. Uma gestão com a participação das entidades. O que estão propondo é transparência nas contas da Santa Casa do ponto de vista documental para dar transparência para quem tem interesse de fazer doações para o hospital. Agora essa decisão do Rotary nos deixou sem entender, do porque alguém ser contra a transparência que é a única coisa que estão tentando promover”, acrescentou o vice-diretor da Santa Casa, Sinésio Alvarenga.

ENTENDA O CASO

Após uma liminar da 4ª Vara Cível de Rondonópolis, que teria sido pedida pelo Rotary Clube de Rondonópolis, que entende que o estatuto da Santa Casa somente poderá ser renovado após a própria Justiça decidir se o hospital deve ser gerido em forma de associação ou de Fundação, a assembleia geral convocada pela diretoria da Santa Casa de Rondonópolis, que iria reunir ontem (12), entidades da sociedade civil para reformar o estatuto do hospital filantrópico, foi suspensa, mas o grupo se reuniu para discutir o assunto e avaliar a situação, pois até então o Rotary Clube era integrante do grupo de entidades em prol da Santa Casa.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here