Fernando Henrique foi levado a júri popular em 2017, mas acabou sendo absolvido da acusação. O MP recorreu e um novo julgamento foi marcado – (Foto: Arquivo)

 

Pela segunda vez, o réu Fernando Henrique de Souza deve enfrentar o Tribunal do Júri. Ele é acusado de ser o mandante do homicídio que vitimou a empresária Jozelma do Nascimento Pesqueira Gimenes, crime que aconteceu na madrugada do dia 12 agosto de 2007. O seu julgamento está previsto para a próxima quinta-feira, dia 12 de dezembro.

O homicídio ocorreu no momento em que a empresária e seu esposo Sérgio Gimenes Cordon chegavam em casa depois de se divertirem em um baile. Quando entrou na residência, o casal foi surpreendido por um homem, identificado depois como Marcos Antônio Lopes, que aguardava pelos dois dentro do imóvel e deu um tiro no peito da empresária, que morreu no local. O bandido fugiu em seguida, levando consigo joias e eletrônicos que roubou do local.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

Na ocasião, o fato do criminoso ter aguardado o casal dentro da residência e a polícia não ter encontrado nenhum sinal de arrombamento nas portas e janelas do imóvel, chamou a atenção dos investigadores, que acabaram chegando em Fernando Henrique que, na época, era genro da vítima e foi apontado como suspeito de ser o mandante do crime e de ter fornecido a cópia da chave da casa para o executor do homicídio.

 

O crime que vitimou a empresária Jozelma do Nascimento ocorreu na madrugada do dia 12 agosto de 2007

O autor do homicídio foi preso e confirmou à polícia que teria agido a mando do genro da empresária e que Fernando Henrique teria lhe fornecido a cópia da chave da porta e o controle do alarme da residência. Marcos Antônio Lopes ainda teria confirmado que agiu em conluio com o genro da vítima, que teria arquitetado o plano de simular um homicídio para esconder sua verdadeira intenção, que era se apoderar de um seguro de vida que Jozelma tinha, cuja beneficiária seria a filha da empresária, noiva do suspeito do mando do crime na época.

JULGAMENTO

O autor do disparo que vitimou a empresária foi julgado e condenado pelo crime, mas o suposto mandante teve destino diferente, já que seu processo foi desmembrado e Fernando Henrique de Souza foi levado a Júri Popular em 2017, mas acabou sendo absolvido da acusação.

Na ocasião, o Ministério Público (MP) não concordou com a decisão do júri, por entender que haviam elementos suficientes para comprovar a participação do ex-genro na morte da empresária e recorreu ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), conseguindo marcar um novo julgamento.

Os advogados de Fernando Henrique recorreram da decisão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas a corte não deu provimento ao recurso e Fernando Henrique terá que responder pela sua suposta participação no homicídio frente ao Júri Popular, previsto para acontecer na próxima quinta-feira (12), às 9 horas, no Tribunal do Júri do Fórum local.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here