Sandra Raquel, presidente da Associação de Mulheres: “a participação dos homens é uma forma de convidá-los a ser um agente responsável e, dessa forma, contribuir conscientizando outros homens” – Foto: Divulgação)

Hoje (06/12/2019), sexta-feira, é a data em que a população masculina é convidada a dar às mãos na luta de combate à violência contra a mulher. Ações de conscientização são realizadas pela Campanha Internacional Laço Branco – Homens pelo fim da Violência contra a Mulher. E aqui em Rondonópolis eles também se unirão à causa em uma partida de futebol com jogadores amadores e profissionais como forma de colocar o tema em discussão. A iniciativa é da Associação das Mulheres de Rondonópolis e Região Sul de Mato Grosso.

A data escolhida para a realização da campanha internacional do Laço Branco é em alusão ao “Massacre de Montreal”. No dia seis de dezembro de 1989, um homem de 25 anos entrou armado na Escola Politécnica de Montreal, no Canadá, e assassinou 14 mulheres e depois saiu atirando pelos corredores e outras dependências da unidade de ensino gritando: “Eu odeio as feministas”. Ele feriu outras 14 pessoas das quais 10 eram mulheres; e depois se suicidou.

No entanto, casos de violência contra a mulher continuam alarmantes e, principalmente, em Rondonópolis. Os registros policiais e nas entidades representativas e de defesa dos direitos da mulher são praticamente diários. Por isso, é importante pensar como os homens podem entrar no combate à violência contra essas vítimas e entender que não possuem poder e autoridade sobre a vida e o corpo delas. “Quando pensamos na conscientização pelo fim da violência contra a mulher, muitas vezes, enxergamos como caminho somente o alerta à vítima ou a orientação à mulher para que identifique comportamentos abusivos e compreenda as agressões psicológicas e morais como violência. A participação dos homens é uma forma de convidá-los a ser um agente responsável e, dessa forma, contribuir conscientizando outros homens”, explica Sandra Raquel, presidente e fundadora da Associação das Mulheres.

A conscientização dos homens é fundamental para pôr um ponto final nas agressões contra as mulheres. As denúncias são um importante mecanismo de identificar os casos, investigar e dar encaminhamento para o agressor e vítima. Porém, elas são feitas quando a violência já ocorreu e o ideal é que ela não existisse.

Para isso, Sandra Raquel afirma que mudar o olhar dos homens e da sociedade às mulheres como um ser inferior e desumanizado. “É preciso que se crie uma rede de proteção atuante onde essas mulheres pudessem recorrer e muitas vezes as mulheres vítimas deixam de denunciar por não terem apoio e proteção”, fala a presidente da associação.

A violência contra a mulher pode ser de várias formas. Ela pode começar como violência psicológica com ameaças, moral por meio de xingamentos, patrimonial pela apropriação indevida do companheiro dos recursos financeiros da vítima e a física com agressões e podendo chegar ao assassinato. Mato Grosso é o quinto na lista de estados com maior número de mulheres que morrem assassinadas por homens.

COMO PARTICIPAR DO JOGO

A partida de futebol pela Campanha Laço Branco – Homens pelo fim da Violência contra a Mulher, será hoje, as 19h, no CT do Tigrão – Sociedade Esportiva Vila Aurora, que fica nas proximidades Avenida Júlio Campos. A entrada é um quilo de alimento não perecível.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here