Objetos apreendidos no Raio I da Penitenciária Mata Grande. – (Foto: Foto: Assessoria)

 

Agentes penitenciários realizaram mais uma operação na Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa – Mata Grande, em Rondonópolis, que resultou na apreensão de celulares, carregadores, chips e porções de entorpecentes. O trabalho foi realizado no Raio I – Inferior Direito e Superior Direito, e teve a duração de quatro horas.

Foram apreendidos na unidade prisional 13 celulares, 14 chips, três baterias de celular, 11 porções pequenas de substâncias aparentando ser maconha, duas porções médias de substância aparentando ser maconha e 17 porções pequenas de substância aparentando ser cocaína.

“Com as operações de revista, fica visível que os agentes penitenciários estão sempre em vigília e atentos ao comportamento dos presos. A retirada de ilícitos é uma forma pedagógica de ensinar o que não é tolerado no ambiente carcerário”, comentou o diretor da Mata Grande, Ailton Ferreira.

Há alguns dias, uma operação semelhante resultou na apreensão de 31 aparelhos celulares, 50 chips, uma bateria de celular, um cartão de memória e 56 porções pequenas de substância que aparentava ser maconha. O material apreendido estava nos raios um e três da unidade, em que também foi encontrado um caderno com anotações de números telefônicos.

A Mata Grande é a segunda maior Penitenciária do Estado de Mato Grosso, tanto na estrutura física quanto na quantidade de presos. Conforme o último levantamento feito pelo A TRIBUNA, a unidade tem capacidade para 1.060 detentos (provisórios e condenados), mas está superlotada.

 

CAPITAL – A operação “Fim de Ano” também é realizada no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), onde agentes, com o apoio de cães farejadores, trabalharam por seis horas e apreenderam quatro garrafas de dois litros de bebida artesanal, 25 smartphones, cinco celulares simples, 340 chips, 11 pen drives, um cartão de memória, um modem (usado para conectar à internet), uma mini balança, 156 porções de substância análoga a maconha, quatro porções médias de substância semelhante à maconha, dois cachimbos artesanais, vários carregadores de celular e fones de ouvido.

De janeiro até 15 de outubro deste ano, conforme levantamento do Governo do Estado, foram apreendidos 1.560 celulares, 7.329 chips e 152 carregadores dentro das unidades penitenciárias de Mato Grosso.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Normalmente as drogas, celulares, carregadores, etc. e etc. entram nas prisões de Mato Grosso através das visitas que os presos recebem e muitas vezes pelos próprios advogados dos mesmos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here