A pista do Anel Viário de Rondonópolis recebeu os reparos nos defeitos que já eram visíveis – (Fotos: Denilson Paredes)

 

A pista do Anel Viário de Rondonópolis recebeu os reparos nos defeitos deixados pela obra de recuperação. O caso foi mostrado pelo A TRIBUNA e, imediatamente, provocou a reação de deputados estaduais com base eleitoral na cidade, que cobraram a qualidade da obra e conseguiram a garantia de que os reparos fossem feitos antes do serviço ser entregue ao Governo do Estado.

A recuperação do pavimento foi contratada pelo custo de R$ 5,947 milhões aos cofres públicos e teve início no último dia 19 de agosto, com a retirada de todo o asfalto antigo e sua base em quase toda a extensão do Anel Viário, que foi substituído por uma nova base e uma camada de asfalto.

 

 

——  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

Ocorre que, mesmo antes de ser entregue, a obra já apresentava defeitos e pequenos buracos em vários pontos do trecho da pista que vai do entroncamento da MT-130 até a BR-364. O temor dos usuários é de que nesses locais venha a ocorrer a infiltração de água das chuvas, o que acabaria por comprometer precocemente a qualidade da base e do próprio asfalto, gerando novamente os grandes buracos que há pouco tempo deixaram a pista intrafegável.

 

O trecho que vai da MT-130 até a Avenida dos Estudantes também está concluído e liberado para o trânsito

 

A situação provocou a imediata reação dos deputados Sebastião Rezende (PSC) e Thiago Silva (MDB), que conseguiram a garantia do secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, que a empresa responsável iria realizar os reparos necessários e que o Governo do Estado não receberia a obra se ela não estivesse dentro de padrões de qualidade. O secretário ainda antecipou que viria a Rondonópolis hoje (19) para vistoriar pessoalmente as ditas obras e informou que, no ano que vem, o Anel Viário irá receber a aplicação de uma camada grossa de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) para dar um reforço e uma mais longevidade à obra de recuperação das pistas.

Na tarde de ontem (18), já era possível ver que a Enpa Engenharia, empresa responsável pela obra, já tinha realizado os reparos e que o trabalho aparentemente teria sido concluído. Inclusive a outra alça do Anel Viário, que vai da MT-130 até a Avenida dos Estudantes, já estava concluída e 100% liberada para o tráfego de veículos nos dois sentidos da pista.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. ASFALTO À FRIO E CASQUINHA DE OVO É AFRONTE À INTELIGÊNCIA HUMANA E MAIS DESPESA AO CONTRIBUINTE. CADÊ O ASFALTO QUENTE COM CINCO A SEIS CENTÍMETROS DE ESPESSURA? SINCERAMENTE NÃO DA PRA ACREDITAR NA SINCERIDADE E DECÊNCIA DO SER HUMANO, EM BOA PARTE DELES, PRINCIPALMENTE QUANDO ENVOLVE SERVIÇO X DINHEIRO PÚBLICO.

  2. Mais uma obra com o famoso asfalto “casquinha”. Com o intenso fluxo de caminhões não vai durar 6 meses. O barato que sai caro. Licitar sem averiguar a qualidade do serviço!

  3. Mesmo diante dessa correção cabe a intervenção de MP para avaliar a obra, como pode uma obra com valor desse porte apresentar problemas antes mesmo de ser entregue. Só no ‘brasil” com b minusculo mesmo para aceitar uma situação dessa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here