A desesperança
Toma conta do mundo.
Povo a sofrer,
Poço profundo.

Cansado da luta.
Eterna espera,
Fraqueza,
Que desespera.

“Pandora” solta a esperança,
Não causará mal a humanidade,
Que venham os sonhos,
Dará hombridade.

Acreditar.
Expectativas de bom futuro.
Buscar o sucesso,
Indeciso muro.

Quebra o “jarro”, mulher.
Não há dúvida.
Fecha a conta,
Dessa antiga dívida.

(*) Hermélio Silva é escritor e poeta em Rondonópolis, membro da Academia Rondonopolitana de Letras

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here