Foto: Arquivo/Agência Brasil

 

Diante do cenário de crimes de gênero existente atualmente e visando conscientizar não só elas sobre formas de se protegerem e denunciarem, mas também eles sobre seu papel na relação e as diferentes formas de agressão, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Departamento de Ações Programáticas, vem promovendo palestras para homens e mulheres em vários locais da cidade sobre violência contra a mulher.

Contemplando um público diversificado, a assistente social da Secretaria de Saúde, responsável pelo Sistema de Vigilância de Violência e Acidentes da Saúde (Programa Viva), Edna Rodrigues, proferiu seminário em que ressalta as diversas formas de desrespeito e abuso de gênero, que vão desde uma simples palavra utilizada de forma hostil ou irônica até graus intensos de desrespeito e abuso, numa gradação que começa de forma sutil com violências simbólicas até atingirem níveis de agressão que deixam marcas visíveis no corpo.

“Já falamos para mães, indígenas, profissionais em empresas e, para o dia 30 deste mês teremos um encontro com os agentes comunitários de saúde do município, no Ceadas, das 9h às 10 horas. Também conversamos com estudantes de turmas da Educação de Jovens e Adultos”, conta Edna.

A iniciativa surgiu a partir de um estudo realizado pelo Conselho da Mulher de Rondonópolis que identificou o crescimento da violência doméstica na cidade, conforme explica a presidente da entidade e gerente do Departamento de Ações Programáticas da Saúde, Mariúva Valentim. “Com esse resultado em mãos, resolvemos trabalhar com toda a população sobre o tema. Mas estamos dando uma atenção especial aos homens para conscientizá-los dos diversos tipos de violência que existem, como a verbal, a financeira, a moral e a física, por exemplo. Então, trabalhamos com eles a Lei Maria da Penha e deixamos claro que os assédios emocional e verbal também são crimes e dão cadeia”.

*Com Assessoria

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here