Dona Bete: “Esposa do ex-vereador Fulô, com penetração política na Vila Operária, está sendo cogitada por Ibrahim como candidata a vice-prefeita …”

1 – SENHORES E SENHORAS,

pelo o que se acompanha dos últimos desdobamentos, a situação da senadora Selma Arruda (PSL), que está deixando a sigla do presidente Jair Bolsonaro, está a cada dia se complicando. Ela é condenada pela justiça de Mato Grosso por suspeita de caixa 2 durante a campanha eleitoral. Sobre os últimos desdobamentos, a defesa da senadora chegou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tenta provar que ocorreu desrespeito às garantias de acesso à ampla defesa e ao contraditório durante o seu julgamento. Ainda busca demonstrar que não houve crime durante campanha. Agora o que, na opinião da Coluna, complica mais a situação de Selma Arruda foi o fato de que a Procuradoria Geral publicou parecer favorável à manutenção da cassação do mandato da senadora e que sejam realizadas novas eleições em Mato Grosso para a escolha do senador que então supriria essa vaga da Selma Arruda. Resta então aguardar o desfecho do caso.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

2 – NOS BASTIDORES

da política local e estadual, o Colunista tem ouvido bastante que a cassação da senadora é quase que certa, com chances remotas de reversão. Neste contexto, vários grupos políticos ligados aos candidatos que disputaram as eleições para o Senado Federal no ano passado, já estão dialogando sobre a expectativa da eleição suplementar no Estado, fato que se ocorrer será algo histórico na política de Mato Grosso.

Até então, os nomes ventilados nestes bastidores para disputar a vaga ao Senado, isso claro, se a Selma Arruda não conseguir reverter sua cassação, está o ex-vice governador Carlos Fávaro (PSD), Adilton Sachetti (PRB) e o deputado federal José Medeiros (Podemos).

Sabe-se que José Medeiros estaria com uma articulação em Brasília para conseguir atrair uma nova visita de Bolsonaro a Mato Grosso, com passagem por Rondonópolis. Uma das propostas do evento seria justamente para ventilar seu nome a uma possível candidatura ao Senado, ou até mesmo à Prefeitura de Rondonópolis. Ai seria qual a eleição que for realizada primeiro. O que é certo é que para prefeito será em outubro do ano que vem. Isso mesmo, é tiro para todo lado. O que colar está dentro. Hoje, José Medeiros é o vice-líder do governo de Jair Bolsonaro na Câmara Federal. Na opinião da Coluna, as chances são grandes de Medeiros disputar as eleições suplementares em Mato Grosso, e com a indicação do Presidente Bolsonaro, que, claro, não quer perder um representante no Senado, mesmo este sendo do Podemos, que ensaia caminhar juntos nas eleições municipais do ano quem vem na cidade. Hoje, em Rondonópolis, Podemos, Pros e PSDB falam que já estão juntos e que irão somar com o PSL. Logo, tal conjuntura reforça aqui em Rondonópolis a possibilidade de Medeiros ser o candidato a prefeito do grupo, isso é, se ele não vier a ser candidato ao Senado, caso Selma consiga vencer sua batalha jurídica e ter essa nova disputa para a vaga.

3 – AINDA FALANDO

sobre as eleições municipais, o ex-vereador Ibrahim Zaher (PSB) está firme no propósito da sua pré-candidatura a prefeito. Uma fonte da Coluna confidenciou que Zaher estaria com diálogo aberto com uma ala do MDB para o partido indicar uma candidata a vice-prefeita na sua chapa. E o nome é, nada mais, nada menos que a Elizabethe Oliveira, a Dona Bete, esposa do ex-vereador Fulô, a qual tem forte penetração política na Vila Operária, região onde ao longo dos anos tem contribuição de destaque na área social em especial as de iniciativa da Igreja Católica. Além disso, caminha sempre ao lado do seu esposo Fulô, que foi vereador por seis mandatos consecutivos e também poderá disputar as eleições de vereador no ano que vem. Para muitos entendedores de política, a tacada de Zaher é genial. Lembra até a antiga chapa de Adilton Sachetti, que teve como candidato a vice-prefeito o Maneco da Vila Operária, em 2004, e saiu vitorioso naquelas eleições.

Vila Operária é famosa por decidir eleições em Rondonópolis, e um candidato a vice-prefeito da populosa região sempre será um grande puxador de votos para a chapa.

4- RECENTEMENTE,

o PSDB desembarcou da gestão do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD). Pelo que o Colunista apurou, realmente o partido entregou os cargos que tinha na gestão, porém menos um, que foi o cargo de secretário de Gestão de Pessoas, que tem a frente o Argemiro Ferreira. Ele teria contrariado o partido e politicamente saiu com como “traidor” da legenda. Após Argemiro resistir em entregar o cargo, ele teria cogitado assinar ficha no Partido Solidariedade, porém com receio de algumas lideranças do SD, teria decidido filiar no PTB, partido que anda paralelo ao SD na cidade, liderado pelo empresário Valdemir Castilho, o Biliu. E não será nenhuma surpresa se o Argemiro Ferreira, que também foi secretário de Transporte e Trânsito na gestão passada de Percival Muniz, aparecer disputando uma vaga para vereador nas próximas eleições.

5 – DEPOIS

de apoiar a disputa pela reeleição do ex-governador Pedro Taques (PSDB), Zé do Pátio agora, após quase um ano do governo Mauro Mendes (Dem), é que decidiu buscar aproximação com o governador. Em uma breve conversa com o prefeito, o Colunista sentiu um ar de preocupação de Zé do Pátio, quanto a recursos financeiros para obras de asfalto da avenida W-11, no trecho que antecede a ponte que está sendo construída sobre o Rio Vermelho e também no trecho que a ligará até a BR-364. Para esta aproximação, Pátio, sem mesmo ter sido convidado para a visita do governador na cidade no último dia 12, compareceu ao evento e até tentou dialogar com Mauro Mendes. O que chamou a atenção foi o fato dele não ter acesso diretamente ao governador, pois pediu para o deputado Sebastião Resende (PSC) atrair Mauro Mendes para onde ele estava. Mas a ideia não teve sucesso total, apesar do rápido bate-papo entre ambos. O Colunista acredita que Mauro Mendes está sendo totalmente diplomático com a cidade, porém não está dando trela para a política do prefeito, pois pelo que foi apurado pelo A TRIBUNA, o governo estadual já tem projeto para a pavimentação da W-11 até a BR-364, porém só vai anunciar quando tiver a garantia de recurso.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here