Sem chuva: Abastecimento de água comprometido

A captação no Rio Vermelho, que abastece 49% do município, enfrenta dificuldades devido a estiagem

2765
Sem chuvas há três meses, nível do Rio Vermelho, responsável pela metade do abastecimento de água na cidade, está baixo – Arquivo

 

A forte estiagem que atinge Mato Grosso começa a prejudicar o abastecimento de água em Rondonópolis, já que 49% dele ainda vem da captação no Rio Vermelho. Sem chuvas há mais de três meses, o nível do rio está baixo e o Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) emitiu um alerta sobre o comprometimento do abastecimento em alguns momentos do dia.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

 

Ainda segundo o Sanear, a outra parcela da cidade, que é abastecida por poços artesianos, também deve enfrentar o mesmo problema, pois devido a estiagem e as altas temperaturas o nível de água está baixo, e o consumo alto.

Segundo informado, “as equipes seguem monitorando os níveis de reservatórios da cidade e acionando o sistema de contingenciamento – que possibilita manobras para resolver os problemas em locais mais críticos, a fim de minimizar o impacto à população”. Em casos emergenciais, o Sanear informa que os moradores receberão o apoio de caminhões pipas.

A autarquia pediu ainda a compreensão dos moradores pelo transtorno momentâneo, além do consumo consciente de água durante o período de estiagem, utilizando somente para as atividades essenciais.

 

 

ONDA DE CALOR

A situação segue crítica em todo estado devido à seca, forte calor e queimadas. Além do decreto de situação de emergência do Governo do Estado devido às queimadas, e do alerta da Defesa Civil para calor extremo e risco de hipertermia, mais um município, sendo Canabrava do Norte, decretou situação de emergência por causa dos incêndios florestais. A mesma medida é estudada pela Prefeitura de Cuiabá, devido as temperaturas extremas e a baixa umidade do ar.
Somente ontem (11), equipes dos bombeiros trabalhavam para tentar conter grandes incêndios na Serra de São Vicente, Nobres, Poconé e em Chapada dos Guimarães, cujo Parque Nacional foi fechado para visitação. Com clima de deserto e muita fumaça, a orientação para a população é evitar exposição ao sol, exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 17h, evitar lugares com aglomeração de pessoas, manter ambientes umidificados e abusar do consumo de água bebendo, no mínimo, dois litros por dia.

 

ESCOLAS

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) encaminhou às escolas estaduais orientativo com algumas sugestões e medidas para serem tomadas a fim de amenizar a situação. A Seduc orienta que, nesse período, sejam oferecidos aos alunos alimentos mais leves na merenda escolar, dentro dos cardápios aprovados e já estabelecidos; que sejam suspensas as aulas que requeiram esforço físico, principalmente atividades ao ar livre no período compreendido entre 10h e 17h, substituindo-as por jogos de mesa, aulas de música, leitura e pesquisas.

Os professores devem estimular os alunos a se hidratarem, com a ingestão de líquidos, orientando para que os mesmos levem para a escola garrafa de água e umedeçam as narinas e o rosto. Os servidores da unidade escolar devem ter atenção redobrada para identificar crianças abatidas e em casos de desmaios, tonturas, cãibras e mal-estar, que sejam encaminhadas ao centro de saúde mais próximo.

REDE MUNICIPAL

Os departamentos de Ensino Fundamental e Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Rondonópolis também orientam as unidades de educação do município que enquanto a umidade do ar continuar baixa e com altas temperaturas que mantenham atenção especial com os alunos.

A Semed solicita que os profissionais expliquem aos pais a importância das crianças irem para a escola com roupas leves e que, dentro do possível, portem uma garrafa de água para a hidratação adequada.

 

Orienta ainda que as atividades físicas sejam feitas em locais com cobertura e que se priorize atividades como jogos de tabuleiros, entre outros, que não causem desgastes físico nas crianças.

Os professores também devem estar mais atentos aos comportamentos das crianças e verificar se estão apresentando sonolência, abatidas ou qualquer mal-estar que indique início de desidratação.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Há anos Rondonópolis vem convivendo com a iminência de um problema de abastecimento d’água! Entretanto, parece-me que o poder público, e incluo nessa lista o Prefeito, Secretários e os Vereadores, estão mais preocupados em batizar ruas com nomes de parentes, discutir a sucessão para a Prefeitura ou a absurda restrição do número de UBERs na cidade.
    Vivemos em um município carente de GESTÃO! Problemas pertinentes são deixados de lado para tratar de assuntos tão medíocres quanto nossos representantes!
    Até mesmo os representantes de bairros podem ser inclusos nessa lista de proeminentes incompetentes, uma vez que a desorganização e a falta de atitude destes resulta também na ociosidade da Prefeitura e na subserviência dos vereadores para a resolução dos problemas!
    Recapeamento da perimetral, sincronização semafórica, revitalização do centro da cidade, arborização, coleta de lixo, abastecimento de água, adequação do cabeamento elétrico que distribui energia, telefone, internet e tudo mais na cidade (que mais parece um emaranhado de cabos colocados de qualquer jeito), conserto das famigeradas canaletas, adequação dos poços de visita (verdadeiras armadilhas no meio das ruas e avenidas da cidade), retirada dos ambulantes das calçadas (que obstruem passagem dos pedestres e não contribuem com impostos, causando a concorrência desleal com as lojas), recolhimento dos animais abandonados (basta ver a verdadeira infestação de gatos na região do Horto Florestal), recolhimento dos mendigos e moradores de rua, inibição da ação criminosa dos “flanelinhas” (que coagem e intimidam os motoristas), resolução da situação da Santa Casa (que é fundamental para a saúde dos rondonopolitanos), enfim, os problemas são tantos que ficaria o dia todo relacionando eles aqui e provavelmente não conseguiria concluir a lista… …entretanto, como já disse anteriormente, nossos representantes parecem não se importar muito com o que realmente interessa ao povo! Uma lástima! Uma vergonha! A inércia e a incompetência são a marca registrada dos gestores municipais rondonopolitanos há décadas! E depois vem um vereador aí dizer que o Zé do Pátio “é o melhor prefeito do Brasil”? Truuuuuco!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here