Alerta: calor extremo e riscos à população

Incêndios por todo o estado fizeram o governo decretar situação de emergência em Mato Grosso

1219
Mato Grosso enfrenta clima hostil, devido ao tempo seco, agravado com as queimadas – Secom/MT

 

A Defesa Civil enviou a moradores de várias cidades do estado ontem (9), por mensagem de celular, um comunicado alertando sobre a onda de calor em Mato Grosso e os riscos à saúde. Por meio do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o alerta é para temperaturas de 5º C acima da média.

O aviso, classificado como Grande Perigo, aponta que as altas temperaturas registradas em Rondonópolis e outras 27 cidades de Mato Grosso ontem (10) – e que devem prosseguir hoje – trazem sérios riscos e problemas de saúde, podendo ocasionar até hipertermia, que é a elevação da temperatura do corpo que ocorre quando o organismo produz ou absorve mais calor do que consegue dissipar.

O alerta tem validade até as 10h de hoje (11) e, de acordo com o Inmet, é emitido devido aos vários dias de altas temperaturas e a previsão para os próximos dias, que também não é animadora. O sistema do Google, por exemplo, aponta para mínima de 22º C e máximas de até 41º C até o próximo domingo (15).

 

Há que se levar em conta ainda a baixa umidade relativa do ar, que chega a ficar abaixo dos 10% em alguns momentos do dia, o que é considerado clima de deserto. Além disso, a fumaça das queimadas registradas em todo o estado pioram ainda mais a qualidade do ar.

Na região, os municípios que também foram incluídos no alerta da Defesa Civil são Campo Verde, Dom Aquino, Itiquira, Jaciara, Pedra Preta e São Pedro da Cipa.

 

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

A situação crítica que Mato Grosso enfrenta devido as condições climáticas e dos incêndios levou o governador Mauro Mendes (DEM) a decretar situação de emergência no âmbito do Estado.

Com a medida, o governo está autorizado a adotar ações necessárias à prevenção e combate aos incêndios e à manutenção dos serviços públicos nas áreas atingidas pelas queimadas.

O decreto tem duração de 60 dias podendo ser prorrogado por igual período. O governo, para o decreto, levou em consideração fatores como o alto número de focos de calor, período de estiagem, baixa umidade relativa do ar e possíveis danos à saúde da população.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here