(*)

Deus criou o céu, a terra, o Universo e criou o homem e a mulher para constituírem uma família. A vocação da família é linda, pois é um chamado ao amor incondicional; um amor que ama o outro independente da forma como o outro se apresente. Nessa Semana somos convidados a refletir sobre as nossas famílias. Como estamos vivendo em família? Como tratamos as pessoas com as quais convivemos em nossa casa? Qual o tempo que dedicamos a conversar com os nossos familiares? Qual o lugar que ocupamos em nossa família? Quais os valores que temos cultivado em nosso lar?

Muitas vezes investimos nosso tempo, nossas forças e nossos projetos sem preocupar com o bem estar da nossa família como um todo. Em tempos de individualismo acentuado, somos tentados a buscar o prazer pessoal e nem sempre valorizamos nossas famílias, mas quando as correntes contrárias nos atingem, é na família que buscamos o porto seguro.

O zelo pela família precisa ser constante, pois como dizia São João Paulo II, “investir na família é construir o futuro”. Em meio aos desafios contemporâneos de inversão de valores, precisamos reafirmar que a dignidade, o respeito, a oração, a fraternidade, a obediência, a união na família e o amor são valores preciosos que precisam ser preservados e vivenciados em nossos lares.

Sonhamos com um mundo onde reine a paz e a fraternidade, mas o que estamos fazendo para que esse sonho se realize? Madre Tereza de Calcutá alertava: “quer ter paz no mundo? Vá para a sua casa e cuide de sua família”.

A família que vive em paz transborda a paz para além dos limites da casa. Somos convidados a aprender a aceitar as pessoas do jeito que elas são, especialmente em nossas famílias; a tentar melhorar os nossos relacionamentos. No lugar da competição desenfreada, vivenciar a ajuda mútua; no lugar das brigas, abertura ao diálogo, ao amor e à oração; no lugar do consumismo exagerado, permitir que Deus faça morada em nossa casa.

Quando deixamos Deus cuidar das nossas vidas vamos descobrindo a alegria de ser amado e quando nos sentimos amados, aprendemos a amar os outros.

O padre Danilo, ao cuidar das crianças do Oratório Dom Bosco disse uma frase marcante: “é preciso amar as crianças para que elas aprendam o que é o amor”. Essa é a nossa missão; a nossa vocação: amar como Jesus amou, sem cobranças, sem medo e sem medida. Amar, porque a nossa essência é o amor. Fomos criados pelo Amor e para o amor.

Temos a responsabilidade de contribuir para que o mundo possa ser melhor, mas para isso é preciso acreditar que as pessoas são boas e podem ser ainda melhores. E é em famílias bem constituídas, alicerçadas no amor de Deus que poderemos ter uma sociedade mais justa e mais fraterna. Que nossas famílias possam seguir o modelo da família de Nazaré para que possamos realizar o sonho e o projeto de Deus em nossas famílias.

Aproveitemos o dia de hoje para dar aquele abraço gostoso em nossos familiares, lembrando a música dos Anjos de Resgate: “Tua família/volta pra ela/Tua família/te ama e te espera/para ao seu lado sempre estar… Tua família”.

(*) Cidinho, Ronaldo, Nalva, César, Ariane, Zélia, Eduardo e Laci – Equipe MFC Sagrada Família

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui