Nutritiva saudade

126

(*) Francisco Assis

Verificando as velhas cartas
Uma me obrigou a reler
Tão amarela dentro da pasta
Feito o sol ao amanhecer.
Tirei-a do envelope
Cuidando pra não rasgar
Diante de tantas que tenho no estoque
Belos dias que o tempo fez adoçar
Fiz uma regressão de tudo
Ao traduzir aquelas palavras
Permanecendo prazerosamente mudo
E no mundo do amor eu estava
Fui acordando lindos sentimentos
Tomando muito cuidado
Naqueles lugares restritos por dentro
Nos quais deixei algo bem guardado.
Você descrevia seus desejos
Ao encontrar a felicidade
Casualmente naquele beijo
Nem lembro mais da verdade.
Foram capítulos eletrizantes
Que a gente jamais esquece
Nutritiva saudade como acompanhante
Que não se afasta e nem aquece.
Relendo isso passei a sorrir
Sem resistir busquei um vinho
Depois minha leitura pôde concluir
Embora se sentindo sozinho.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar – email:
[email protected]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here