Antonio Henrique Rosário, empresário: mostra rachadura em prédio, segundo ele, em consqueência do trânsito pesado de carretas. “Aqui treme tudo”, atesta. – Foto: Denilson Paredes

 

Completamente tomado por enormes buracos há meses, o Anel Viário de Rondonópolis tem causado inúmeros transtornos à população, já que devido ao estado caótico da pista, grande parte do pesado tráfego de caminhões e carretas acaba indo para as ruas da cidade, como forma dos motoristas fugirem dos buracos e evitarem danificar seu instrumento de trabalho. Por conta da demora por parte do Governo do Estado em resolver a questão, as ruas pavimentadas estão se deteriorando e há registro até de residências que começam a apresentar rachaduras devido a vibração provocada pelos enormes veículos de carga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Um dos casos ocorre na casa do empresário Antônio Henrique Rosário, dono de uma padaria localizada na Av. Frei Servácio, uma das mais usadas pelos motoristas de caminhões e carretas para fugir dos buracos do Anel Viário, uma vez que liga com a Avenida Presidente Médici e dali para as rodovias federais que cortam a cidade.

“Depois que começou esse trânsito de carretas aqui na minha rua, surgiram várias rachaduras no meu prédio. Isso (trânsito de caminhões e carretas por dentro da cidade) em cidade nenhuma do Brasil é permitido. Sei disso porque eu fui carreteiro por 14 anos e em São Paulo, se passar em uma rua onde não é permitido, a polícia cai em cima. Até você se explicar, a coisa fica bem complicada. Mas aqui parece que é liberado”, apontou.

O empresário reclama que até altas horas da noite fica muito difícil fazer qualquer coisa, como assistir a um programa de televisão ou mesmo dormir pois, além do barulho intenso, a sua residência treme, provocando inclusive medo em seus familiares, que temem que o prédio possa ruir uma hora. “Treme tudo. E é caminhão a noite inteira, não sossega um minuto. Isso está me dando até um desânimo e tem hora que penso até em ir embora daqui”, declarou.

 

Conforme Antonio Henrique, além das paredes de sua residência, que fica na parte de cima de sua padaria, os veículos pesados também estão acabando com o asfalto das ruas e avenidas por onde passam. “É dinheiro público que foi investido e agora as carretas estão desmanchando tudo. Nós, que pagamos nossos impostos, não temos culpa pela situação do Anel Viário. Isso é vergonhoso para nossas autoridades, porque aqui não foi feito para rodar carretas. Aqui foi feito para rodar caminhonetes e carros pequenos e tem que ser tomada uma providência. A gente tem que fazer alguma coisa, um movimento para tirar esse trânsito pesado de dentro da cidade, até para evitar acidentes, que eu já vi muitos casos que só pela graça de Deus não aconteceram”, concluiu, em forma de desabafo.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Sr.Antonio Henrique, não é só isso, de destruir os asfaltos e rachar as casa e moradias dos Rondonopolitanos, alem disso, as descargas dos escapamentos das carretas despeja no Ar toneladas de Monoxido de Carbono , que agridem a saúde de todos os moradores, em toda a extensão em que elas percorrem, do inicio do Anel Viário até a Rondovia no Viaduto, vamos, manifestar unirmos, chamar a imprensa etc, e fazer o que for preciso, para chamar a atenção das Autoridades dorminhocas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here