1º semestre: Energisa é “campeã” de reclamações no Procon

1633
Alexandre Junior e Neila Santos: balanço do primeiro semestre – Foto: Denilson Paredes

 

A Energisa, concessionária de energia elétrica em Mato Grosso, foi a campeã no ranking de reclamações do Procon de Rondonópolis no primeiro semestre deste ano. As principais reclamações contra a empresa são referentes à cobranças indevidas nas faturas dos consumidores e o órgão de defesa do consumidor tem conseguido resolver as pendências.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Whatsapp: (66) 99603.9677


 

Os números do Procon, referentes ao período de 1º de janeiro a 30 de junho de 2019, mostram que a Energisa foi alvo de 503 reclamações, o que corresponde a 14,98% do total, mais que o dobro de reclamações em relação à segunda colocada no ranking, a Vivo/Telefônica, com 250 reclamações, que correspondem a 7,42% do total. Em terceiro lugar, aparece outra empresa de telefonia, a Oi, com 168 reclamações, ou 5% do total.

De acordo com o coordenador do Procon, Alexandre Júlio Júnior, o grande número de reclamações contra a empresa responsável pela distribuição de energia elétrica é recorrente e a maioria é contestação às cobranças feitas pela empresa. “Essa empresa foi a que mais recebeu reclamações em rankings anteriores e a maioria é quanto a contestação de valores cobrados nas faturas. Hoje acontece muito também de lançarem faturas a título de recuperação de consumo, que é quando a empresa detecta que o consumidor fez ‘gato’ na energia. Na ótica da empresa, ela está recuperando essa energia, mas muitas pessoas contestam”, informou.

Conforme a supervisora geral do órgão, Neila Soares Santos, outra reclamação recorrente contra a Energisa ocorre quando a pessoa encarregada de fazer a aferição do consumo, por algum motivo, não vai até as residências para fazer esse serviço. “Aí, a cobrança é feita tendo por base a média do consumo nos últimos três meses. Mas se o consumo do mês for muito superior ao consumo anterior, eles também se acham no direito de recuperar isso, considerando que no mês anterior a fatura foi por média e não pelo efetivo consumo. Aí, as pessoas reclamam porque há um aumento expressivo nos valores cobrados em alguns meses”, explicou.

 

Com relação às reclamações contra as empresas de telefonia, que aparecem em segundo e terceiro lugares no ranking do Procon, as principais também dizem respeito à cobranças indevidas e cancelamento de serviços contratados. “Nesse caso, as empresas colocam bastante dificuldade e não atendem a solicitação do consumidor, não cancelando o serviço. Há casos também de consumidores que contrataram determinado pacote (de serviços), com um valor fixo mensal, e quando o consumidor recebe a fatura, ele é surpreendido com um valor diferente daquele que foi ajustado no momento da contratação. Isso também se trata de cobrança indevida. Mas grande parte dessas questões nós conseguimos resolver em favor do consumidor com um simples telefonema”, explicou a supervisora do órgão.

 

OUTROS CASOS

O Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) é a quarta empresa que mais recebeu reclamações no período, com 68, que correspondem a 2,03% dos casos. Porém, os encarregados pelo Procon esclarecem que, nesse caso, as reclamações são atendidas sem que seja necessária a instauração de processos. “Antes mesmo de qualquer audiência, o Sanear já resolve as demandas. Basta chegar a notificação e eles resolvem os problemas. E a maioria das reclamações também é com relação aos valores das faturas”, explicou Alexandre Júnior.

Em quinto lugar no ranking aparece a Caixa Econômica Federal, com 65 reclamações, em sexto o Bradesco, com 53 reclamações, em sétimo aparece a empresa Via Varejo SA, com 52 reclamações, a Anhanguera Educacional SA aparece em oitavo, com 51 reclamações, seguida da Teixeira e Araújo Eventos e Cursos Ltda, também com 51 reclamações, e a Havan Loja de Departamentos fecha o ranking das dez empresas com o maior número de reclamações registradas no Procon, com 48.

Ao todo, o Procon recebeu 1.840 reclamações no primeiro semestre de 2019.

 

SERVIÇO

A direção do órgão fiscalizador orienta a todas as pessoas que tiverem alguma reclamação a fazer, que procurem o Procon entre 12 e 18 horas, munidos de cópia dos seus documentos pessoais, comprovante de residência e os documentos que comprovem a reclamação.
O órgão também tem um posto no Ganha Tempo, que fica aberto durante todo o dia. Para sanar dúvidas ou buscar esclarecimentos, o consumidor também pode entrar em contato com o Procon pelos telefones (66) 3411-5295 e 3411-5297, mas nesse caso, o atendimento é feito somente no período da manhã. Ele fica localizado na Rua Rio Branco, 2102, no Jardim Guanabara, logo abaixo do Fórum.

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. ESSE SISTEMA DE TER A AFERIMENTO NOS POSTES, DE MODO QUE NEM O AFERIDOR CONSEGUE VER OS NÚMEROS. É CÔMODO E LUCRATIVO PARA A ENERGISA FAZER POR MÉDIA, POIS O CONSUMO APRESENTADO É SEMPRE O DOBRO DO CONSUMO NA RESIDÊNCIA. SERIA INTERESSANTE QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO TOMASSE PROVIDÊNCIAS . QUANTO AO PROCON NÃO É VERDADE QUE RESOLVE TODOS OS CASOS, POIS EM DUAS OCASIÕES QUE PROCUREI O ÓRGÃO A ENERGISA NADOU DE BRAÇADA, COBROU O QUE BEM ENTENDEU E TIVE QUE ENGOLIR EM SECO, SABENDO QUE ESTAVA SENDO LESADO. OU ACEITAVA O PROPOSTO DA ENERGISA OU CORTAVAM A ENERGIA. MEU CONSUMO MENSAL GIRA EM TORNO DE 400 KW, MAS FAZEM POR MÉDIA E APRESENTAM SEMPRE MAIS DE 700 KW. SÓ NÃO ENTENDO COMO FAZEM ESSA MÉDIA SE NUNCA MEU CONSUMO FOI TÃO ALTO. ALGO ESTÁ MUITO ERRADO, MAS A ENERGISA SEMPRE TEM UMA RESPOSTA A SEU FAVOR.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here