Na Câmara: Secretária de Educação fala sobre o transporte escolar

937
A secretária Carmem Garcia Monteiro esteve acompanhada do gerente da Divisão de Transporte da Semed, Idelvamar Menezes Araújo, o Nenzão – Foto: Denilson Paredes

 

A secretária Municipal de Educação, Carmem Garcia Monteiro, compareceu na tarde de ontem na Ordem do Dia da Câmara Municipal para explicar aos vereadores a ideia da administração de retomar a gestão do transporte escolar, que atualmente é feita por uma cooperativa. Ela foi convocada pela Comissão de Educação da Casa, que quis saber mais a respeito da intenção da administração.

“Nós temos um contrato da gestão da nossa frota (própria) de ônibus que vencerá em setembro. E nós estamos fazendo um levantamento (de custos) no sentido de a gente assumir a gestão dessa frota. Hoje, a cooperativa é responsável pela contratação de motoristas, a manutenção mecânica, combustível, tudo fica por conta da cooperativa. Temos procurado analisar a viabilidade de interromper o contrato e assumirmos o serviço”, informou Carmem Monteiro.

“E aqui começamos uma discussão e ficamos acordados que os vereadores irão agendar uma reunião com o prefeito para continuarmos a debater o assunto. No entanto, o prefeito tem a intenção de assumir a gestão desses ônibus e os dados que levantamos irão servir de parâmetro para decidirmos se iremos concretizar isso ou não”, concluiu a secretária.

Ela esteve acompanhada do gerente da Divisão de Transporte da Semed, Idelvamar Menezes Araújo, o Nenzão, que foi o responsável pela elaboração de estudos de viabilidade da intenção de reassumir a gestão da frota de ônibus escolares.

 

Um dos vereadores que foram mais incisivos nos seus questionamentos foi Vilmar Pimentel (SD), que é da base aliada do prefeito. Ele externou sua preocupação com a possibilidade de a retomada da gestão dos ônibus acabar por aumentar os custos para a prefeitura. “Nós estamos preocupados em ajudar o prefeito para que ele erre menos, para que não venhamos a ter um desgaste da gestão lá na frente e prejudicar os estudantes que precisam do transporte. Eu acho que podemos ter um entendimento com a cooperativa de forma que fique um preço justo, baseado em estudos, para que chegássemos a um denominador comum. Eu gostaria que ficasse com a cooperativa, até porque o contrato do município com ela pode ser aperfeiçoado”, defendeu.

Para Pimentel, a prefeitura pode exigir, por meio do contrato, que a cooperativa invista na qualidade dos ônibus, que instale equipamentos de rastreamento via satélite, capacitação dos motoristas, e outros pontos, como forma de melhorar a qualidade do serviço, sem onerar mais o poder público.

Ao final, os vereadores acertaram que irão agendar uma reunião com o prefeito para continuar debatendo o assunto. Atualmente, a gestão dos ônibus escolares é feita pela Cooperativa de Transporte Escolar (Cootermat), cujo contrato vence em setembro próximo. A prefeitura é responsável pelo transporte diário de cerca de 4 mil alunos, a grande maioria da zona rural, contando para isso com uma frota de 32 ônibus próprios e outros 27 terceirizados.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here