(*) Francisco Assis

Naquele show gostoso em andamento
Você montada no ombro dele
Reconheci o ciumento
Ainda enganando ele.
Dançava sobre o palco de areia
Bebendo cerveja quente
Passava excitação nas veias
E nem percebia os lances da gente.
Tão linda te vejo agora
Porém se manteve atrevida
Saia curta coxas de fora
Isso não seria bom para nossas vidas.
Lentamente fui mudando de lugar
Você deixara sua mão para trás
Para que eu pudesse pegar
E por muito rápido a gente se desfaz.
Cheguei a beijar as pontas do seu cabelo
Desequilibrando seu chapéu
Depois bebia aquele uísque sem gelo
Dançava pra você e olhava para o céu.
Torcia muito pra ele se cansar
E por você no chão
Ficaria mais fácil para lhe tocar
Sem provocar confusão.
Estivemos tão próximo do perigo
Achei que a casa ia cair
Mas você apresentou-o como amigo
Aumentando ainda mais essa vontade de trair.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar – email:
[email protected]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here