Suspeita de H1N1: Seis pessoas seguem internadas

4285
Izalba Albuquerque, secretária municipal de Saúde, durante coletiva de imprensa na manhã de ontem – Foto: Divulgação

 

Após a morte da quinta pessoa por suspeita de estar infectada pelo H1N1, o vírus da Gripe Suína, a Secretaria Municipal de Saúde informou, na manhã de ontem (18), que outras seis pessoas estão internadas em unidades de saúde do município suspeitas de estarem acometidas pelo mesmo vírus.

Na mesma oportunidade, a secretária Izalba Albuquerque informou também que já houve outros cinco casos suspeitos, mas que foram descartados após a realização de exames.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Whatsapp: (66) 99659.7564


 

As informações foram repassadas pela secretária em entrevista coletiva, quando ela aproveitou para cobrar publicamente que o Ministério da Saúde (MS) libere um número maior de vacinas para Rondonópolis, por conta dos casos suspeitos de serem da H1N1.

“Estamos lidando com uma situação que precisa ser bem avaliada pelo Ministério da Saúde e necessitamos sim de mais doses, porque as pessoas que têm condições financeiras pagam pela vacina, mas as que não têm ficam expostas”, declarou Izalba Albuquerque.

 

Em outro trecho de sua entrevista, a secretária ressaltou a necessidade de se ampliar a vacinação em Rondonópolis, que foi fornecida apenas para o chamado grupo prioritário. “O que mais me preocupa é que os óbitos têm sido dentro da faixa de idade que não estavam contempladas pelo Ministério da Saúde, não estavam nos grupos prioritários. Na semana passada, tivemos um óbito de um rapaz de 40 e poucos anos, essa semana tivemos mais essa moça de 37 anos. Então, eles não estavam contemplados dentro dos grupos prioritários do Ministério da Saúde”, externou.

Ela ainda informou que está buscando junto ao MS a liberação de mais 30 mil doses da vacina contra a gripe, e que já conseguiu o comprometimento de um senador de Mato Grosso que irá se empenhar para viabilizar a liberação das doses da vacina junto ao MS.

 

OS CASOS

O mais recente caso de óbito suspeito de ser em decorrência da H1N1 aconteceu na segunda-feira (17), quando uma moradora de Rondonópolis, de 37 anos, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
Anteriormente, já haviam sido vitimados com suspeita da doença o empresário Clayton Rodrigues Neres, de 43 anos, que morreu na Santa Casa de Misericórdia no último dia 11. Antes dele, um idoso de 64 anos, que também estava internado na UPA, morreu com suspeita da doença no dia 27 de maio.
Outros casos registrados foram o de uma mulher que morava na cidade vizinha de Pedra Preta, que morreu na Santa Casa no dia 29 e, no dia 30, uma moradora de Rondonópolis morreu no Hospital Regional.
Todos esses casos ainda não tiveram a confirmação de que de fato se tratava da Gripe H1N1.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here