ADONIAS FERNANDES: “Bem que poderia estar defendendo dentro do MDB sua candidatura a prefeito, pois é bastante conhecido na cidade e vem das bases populares…”

1 – SENHORES E SENHORAS,

o anúncio do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB), que afirmou com exclusividade para este Colunista de que definitivamente é pré-candidato a prefeito de Rondonópolis nas eleições 2020, movimentou vários setores da política local. De antemão, o grupo de políticos que tenta uma candidatura unificada na cidade já tratou de chamar logo uma reunião para a próxima semana. A princípio, o grupo falava em chamar o grupo de Sachetti para as discussões, mas agora que Sachetti anunciou a sua pré-candidatura, os integrantes do grupo não querem nem saber de Adilton, pois ao que parece já o vêem como oposicionista à unificação, assim como o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) é visto, pois certeiramente buscará a reeleição de prefeito. Pelo o que o Colunista foi informado, após o anúncio de sua pré-candidatura, Adilton Sachetti recebeu várias mensagens de apoio ao projeto, mas há também outros comentários expressando o desejo dos eleitores por nomes novos para preencherem os cargos políticos da nossa cidade.

 

2 – VOLTANDO

a falar sobre os preparativos para sua reeleição, sabe-se que o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) está fortalecendo o Partido Solidariedade para as próximas eleições. Uma das suas estratégias é aumentar o número de filiados no SD. A princípio, filiados de partidos pequenos, os chamados ‘nanicos’ estão sendo orientados a assinarem ficha no Solidariedade. Além disso, Pátio estaria nomeando vários cabos eleitorais para trabalharem em setores tidos como redutos eleitorais nas áreas da Saúde e da Educação.

E tocando no assunto de nomeações, será como anda a folha de pagamento do Município? Será que estaria inchada novamente? Cabe até uma sugestão para o Ministério Público, que tanto cobra a realização de concurso público no poder municipal, dá uma averiguada e questionar também o porquê de até agora nem os aprovados no último concurso terem sido convocados, apesar da recomendação judicial.

 

3 – NAS DUAS

edições passadas da Coluna, citamos sobre a existência de uma articulação que caso o deputado estadual Thiago Silva (MDB) desista da pretensão de concorrer à Prefeitura, o MDB poderia se aliar ao projeto de reeleição de Pátio, tendo como seu candidato a vice-prefeito, nada mais e nada menos, que o atual presidente da Câmara Municipal, vereador Cláudio da Farmácia (MDB). Depois desta nossa afirmação, logo veio a resposta sobre esta possível aliança.

 

RECENTEMENTE

uma reunião em Cuiabá, com deputados e membros do diretório estadual do MDB, o cacique Carlos Bezerra teria sido categórico sobre o rumo da sigla na cidade, garantindo que não apoia o projeto de reeleição de Zé do Pátio (SD). Sabemos que atualmente o prefeito vem provocando distanciamento do MDB da gestão, talvez isso seja o entendimento de Bezerra para o caminho e, quem sabe, lançar candidato a prefeito ou até mesmo optando por apoiar candidaturas dos velhos caciques e carcarás da política local, que ainda sonham em voltar ao comando do Município, pelos quais já passaram e não conseguiram resolver os velhos problemas de infraestrutura e gestão da cidade. Mas como dizia o saudoso político mineiro Magalhães Pinto, “Política é como nuvem. Você olha e ela está em um lugar. Olha de novo e ela já mudou”, quem sabe futuramente Bezerra pode mudar de opinião e apoiar o projeto de reeleição de Zé do Pátio, que surgiu na vida pública guiado pelo próprio Bezerra. Nada ainda podemos afirmar ou duvidar.

 

4 – NOVAMENTE,

um ano antes das eleições municipais, o vereador Adonias Fernandes (MDB), que já está no quarto mandato, volta as suas articulações com a intenção de ser indicado a candidato a vice-prefeito. A princípio ser tornou defensor da gestão Zé do Pátio (SD), sonhando em compor a chapa majoritária do projeto de reeleição. Mas também, de outro lado, Adonias sonha em ser vice do ex-prefeito Adilton Sachetti (PRB), que afirmou a este Colunista que é pré-candidato a prefeito. Nossa opinião sobre o fato é que o vereador estaria gastando energia à toa, quando na verdade poderia estar defendendo dentro do MDB sua candidatura a prefeito, pois é bastante conhecido na cidade, vem das bases populares e ao longo dos anos já adquiriu bastante experiência na vida pública para, quem sabe, se tornar o primeiro prefeito negro da nossa cidade. Sabemos até então, que o deputado estadual Thiago Silva (MDB) vem negando a possibilidade de se candidatar a prefeito e ficar como um político que usou a eleição de deputado como trampolim político. Caso o deputado permaneça mesmo de pé firme em seu cargo na Assembleia Legislativa, Adonias já teria um cabo eleitoral de peso na tentativa do MDB voltar novamente ao comando da Prefeitura. Mas ao que parece, Adonias está duvidando da força eleitoral que ele e o partido têm hoje para emplacar uma candidatura majoritária, ao invés de ficar de pires nas mãos atrás dos velhos representantes da velha política que já passaram pelo comando da Prefeitura.

 

5 – E QUEM ESTÁ

firme e realizando reuniões e traçando uma nova estratégia política para apresentar um projeto alternativo na disputa eleitoral do ano que vem, é a nova direção do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), que pretende lançar candidato próprio a prefeito de Rondonópolis no pleito de 2020. O partido tem recebido inúmeras adesões e será uma das novidades do futuro pleito municipal. Na última sexta-feira (14), os lideres do projeto estiveram mais uma vez reunidos. Como já foi divulgado pelo A TRIBUNA, um grupo de empresários que sempre discute a possibilidade de lançar um nome novo na política, se filiou ao PROS para desenvolver esse projeto para o próximo pleito, e o professor Galeno Esteves é quem vem se destacando nessas articulações. Comentários ouvidos pelo Colunista é que o próprio Galeno poderá ser o candidato a prefeito, no entanto ele não faz questão de discutir um outro nome junto ao partido.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here