Herói ditador

172

(*) Francisco Assis

Não usava camiseta de herói
Mesmo assim gritavam seu nome
Rancorosas palavras algo que dói
Proclamavam o desespero e enxergavam a fome.
É um pôster evidente duma guerra fria
Diante dum quadro social e dolorido
Quem tivesse a possibilidade fugia
Naquelas normas ditadas um leão temido.
Consequências dolorosas e irreversíveis
Uma planta maligna de alguém do mal
Passível de castigo em todos os seus níveis
Da esfera penal.
Comparado a um monstro fora da jaula
Atacando pessoas
Certamente um perverso desses em sala de aula
Imoralmente atoa.
Triste será seu fim pela escolha desse caminho
Ainda irá sentar na cadeira abrasiva
Sofrerá a ferroada do agudo espinho
E qual seria sua justificativa?
Dano nocivo causou a seu país
Razões pelas quais ignoradas
Em fuga alucinante um povo infeliz
Sem água e sem comida seguem a pé pela estrada.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar – email: [email protected]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here