Asfalto: “Usina foi adquirida com recursos federais”

3855
Equipamentos para usina de asfalto a quente já foram entregues na cidade – Foto: Divulgação

 

Os equipamentos da usina de asfalto à quente, o Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), que a Prefeitura anunciou como adquiridos com recursos próprios, mas segundo o ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB), em declaração ao A TRIBUNA, na verdade a maior parte dos recursos para a compra dos equipamentos foi oriunda de uma emenda parlamentar sua, apresentada em 2017, no seu último ano do mandato. Adilton já declarou pré-candidatura a prefeito nas próximas eleições e possivelmente disputará contra a candidatura à reeleição do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Whatsapp: (66) 98124.0013


 

Conforme consta no Cadastro, Acompanhamento e Fiscalização de Prestação de Contas do Governo Federal, a emenda parlamentar foi liberada por meio da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia, totalizando R$ 3.060.953,00. Agora, a contrapartida da Prefeitura foi de R$ 440.219,86.

Os equipamentos, que fazem parte dos investimentos realizados pelo governo federal foram entregues na cidade no último dia 10. Por meio de um Termo de Sessão de Uso, o município repassou os equipamentos à Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder), onde a usina será instalada. A previsão é de que até o mês de agosto a usina já esteja em plenas condições de produzir o CBUQ para ser utilizado nos serviços de tapa-buracos das vias da cidade.

“O projeto foi apresentado em 2017. O dinheiro é proveniente do Ministério da Integração Nacional e Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia para promoção de investimento em infraestrutura econômica no Estado de Mato Grosso”, disse o ex-deputado Adilton Sachetti.

 

“A usina de asfalto será um grande avanço para Rondonópolis. Ela vai representar quase 20% em economia para a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder), que é a responsável pela execução de vários projetos de infraestrutura no Município”, completou Sachetti.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia.

    Será mesmo que era necessário a aquisição de uma usina de CBUQ? Será que foi feito algum calculo do custo operacional X demanda necessária. Acho que não. O custo para se manter uma usina desta é altíssima, só vale apena aquisição quando se tem demanda para produção. Por trás de tudo isso ainda tem a aquisição de insumos e agregados que não é barato, tem também o custo laboratorial e operacional.

    Vamos ver por quanto tempo isso vai funcionar e quantos anos vai durar, digo por conta da gestão publica não ter capacidade técnica nem para resolver problemas pequenos que seja de infraestrutura no município, agora terá outra preocupação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here