O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, visitou ontem (14) a cidade de Rondonópolis, passando pelo Terminal Ferroviário de Cargas e pelas obras de duplicação de rodovias federais na região do Trevão, acompanhado pelo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e uma grande comitiva de políticos mato-grossenses.

Ele concedeu uma entrevista para toda imprensa estadual presente, e tratou sobre vários investimentos previstos no campo da infraestrutura para o estado nos próximos anos. Um dos assuntos mais questionados foi a expansão da Ferronorte – Ferrovia Senador Vicente Vuolo – entre Rondonópolis e Cuiabá. O projeto de levar os trilhos, que no estado passam por Alto Garças, Itiquira e chegam até o Terminal Ferroviário de Cargas em Rondonópolis, prevê o prolongamento de mais 200 km de ferrovia, chegando até a Capital, melhorando assim o escoamento da produção agrícola, principalmente da região Norte de Mato Grosso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Whatsapp: (66) 98124.0013


 

Segundo o Ministro, há duas formas para que a Ferronorte chegue até Cuiabá. “A primeira é demonstrar a inviabilidade de ter uma concessão autônoma, indo para Cuiabá, e a partir do momento que demonstra a inviabilidade atribui o trecho à própria concessionária que já opera em Rondonópolis. O segundo caminho temos trabalhado junto com o Congresso, que é um projeto de lei que cria o regime de autorização, porque havendo manifestação da concessionária a gente autoriza a concessão do trecho”, explicou.

O grupo Rumo Logística já manifestou o interesse de levar os trilhos além de Cuiabá, chegando até a região de Lucas do Rio Verde. O Ministério, por sua vez, aguarda um aval do Tribunal de Contas da União (TCU) para dar andamento no projeto.

Ainda durante a visita, Tarcísio Gomes de Freitas destacou que na gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Mato Grosso deve ser o estado que mais irá receber recursos, ao longo dos próximos anos, de maneira direta ou indireta. “Mato Grosso, para o presidente Jair Bolsonaro, é uma prioridade. E não poderia deixar de ser, pela pujança, pelo potencial. A gente, quando vem para cá e vê o que viu aqui, é tomado pelo senso de urgência”, disse, se referindo aos problemas de infraestrutura encontrados na visita.

 

“O ministro tem grande conhecimento dos problemas de infraestrutura do nosso Estado e é um importante interlocutor nesse sentido. Ele tem mostrado muita compreensão do que Mato Grosso pode contribuir para o crescimento da nação brasileira”, destacou o governador Mauro Mendes.

 

AGENDA

A comitiva realizou uma visita às obras de duplicação na região do Trevão de Rondonópolis e, depois, seguiu para Água Boa (MT), onde foi realizada uma audiência pública para discutir a construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) e obras de Infraestrutura em rodovias federais e estaduais no Estado.

Segundo o Ministro, o governo federal trabalha para assinar, ainda este ano, o contrato para construção da Ferrovia Centro-Oeste, com previsão de início das obras já em 2020.

A Fico terá quase 400 quilômetros e deverá ligar Água Boa ao município de Campinorte, em Goiás. Além da Fico, o ministro anunciou ainda para este ano a concessão da Ferrogrão, ferrovia que vai ligar a cidade de Sinop, no norte de Mato Grosso, a Miritituba, no Pará. A Ferrogrão e a Fico estão entre os mais importantes projetos ferroviários para o escoamento de commodities do Brasil.

 

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Se rondonopolis continuar a eleger prefeitos populistas e esquerdistas, como tem feito na ultima decada, que classificam os empresarios como uma elite opressora nociva, perderemos todos os recursos da União para as cidades do nortão, que são melhores geridas. O Brasil mudou; a esquerda morreu. Precisamos de um prefeito liberal arrojado, ou então perderemos o bonde da historia. Chega de prefeitos de currutela.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here