Ex-deputado estadual é condenado a 21 anos de prisão

443
Segundo a decisão, Humberto Bosaipo terá ainda que devolver R$ 4.985.407,28 aos cofres públicos – Foto: Arquivo

 

O ex-deputado estadual Humberto Bosaipo, também ex-conselheiro do Tribunal de Contas Estadual (TCE), foi condenado a mais 21 anos de prisão pelo juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. O magistrado também determinou que Bosaipo devolva R$ 4.985.407,28 aos cofres públicos.

A condenação é relativa à Operação Arca de Noé, deflagrada em 2003, na qual Bosaipo já havia sido condenado a 28 anos de prisão em regime fechado pelos crimes de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos enquanto atuou na Assembleia Legislativa nos cargos de presidente e primeiro-secretário.

“As consequências foram graves e perturbadoras da ordem pública, notadamente diante o alto desprezo pelos padrões morais e éticos exigidos para um deputado, eis que os crimes dilapidaram o erário, vindo a causar significativo prejuízo aos cidadãos de Mato Grosso, além de desvirtuar e desequilibrar o estado democrático de direito, garantindo inúmeros mandatos comprados a custa de valores desviados, embora reconhecidamente parte dos valores eram utilizados para gastos pessoais, como atestou seu comparsa José Geraldo Riva”, afirmou o juiz.

Ainda segundo ele, “os reflexos causados, neste momento, não se podem mensurar, porém, são públicas e notórias as dificuldades orçamentárias atuais, como atrasos de salários de servidores, precariedade do atendimento público médico/hospitalar, segurança pública, educação, etc, sendo que os valores que deixaram de ingressar aos cofres públicos poderiam estar sendo utilizados para trazer melhor qualidade de vida a toda população de Mato Grosso”.

Embora a condenação seja em regime fechado, o ex-conselheiro permanecerá em liberdade até que o caso seja julgado em segunda instância, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Em novembro do ano passado, Bosaipo já havia sido condenado a 18 anos e 4 meses de prisão por desvios de dinheiro na Assembleia Legislativa.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here