Aeroporto de Rondonópolis continua apresentando problemas que comprometem a segurança dos voos – Foto: Arquivo

 

Ainda sob o comando da Prefeitura de Rondonópolis, até que a iniciativa privada tome posse, o Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco continua apresentando muitos problemas. Desta a vez, a reportagem do A TRIBUNA recebeu a denúncia de que o recinto corre o risco de ser fechado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) devido a problemas de segurança. Até uma anta dentro do espaço aeroportuário estaria colocando em risco a vida dos passageiros durante pousos e decolagens.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Conforme apurado pela reportagem, nesta semana, representantes do poder público municipal estiveram reunidos com representantes da Polícia Federal para pedir apoio dos federais para a segurança do Aeroporto. O sistema de monitoramento eletrônico do recinto está desativado e em grande parte do dia e da noite não existe segurança armada no local.

O mais preocupante é que existe a informação de que uma empresa de transporte de valores faz uso de um voo comercial, o que coloca em risco os valores transportados e a segurança dos passageiros. Durante a reunião, teria ficado decidido que toda situação seria comunidade à Anac, que, consequentemente, tomaria providências.

Outro problema enfrentado é que existe uma anta dentro do perímetro do Aeroporto, inclusive com acesso à pista de pouso e decolagem, situação que coloca as aeronaves de passageiros em risco. Hoje (16), está prevista uma força tarefa no local para a localização e retirada do animal do local.

Segundo o secretário municipal de Transporte e Trânsito, Rodrigo Metello, em horários de chegada de voos, policiais civis estão fazendo a segurança do local. Quanto à existência de uma anta nas dependências do Aeroporto, o secretário confirmou a força tarefa para a retirada do animal do local. Outras deficiências no local não foram confirmadas pelo secretário.

 

INICIATIVA PRIVADA

O Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, e outros três terminais regionais de Mato Grosso, incluindo o de Rondonópolis, começam a ser operados oficialmente pela iniciativa privada no final do ano. A previsão do Ministério dos Transportes Portos e Aviação Civil é que os consórcios que arremataram 12 aeroportos no leilão realizado em São Paulo, no mês de março, assumam a administração das plataformas em novembro de 2019. A assinatura do contrato está marcada para o mês de julho, segundo cronograma do governo federal.

 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here