A Educação na Era Digital

11

(*) Taiza Quirino

Sabemos que o século XXI é a era da digitalização, onde a internet vem ganhando cada vez mais espaço entre as novas e, já não tão novas gerações. A facilidade e velocidade das informações através da rede são assustadoras! Literalmente à velocidade de um click!!! Uma ferramenta que vem formando, informando e, infelizmente, muitas vezes, deformando alguns expectadores.
Cada vez mais, a mídia tem estimulado uma crescente necessidade de se estar conectado, principalmente por causa da virtualização da informação, gerando um sentimento de desvalorização de outras fontes de conhecimento, como livros, revistas, jornais, etc… Materiais considerados já ultrapassados por muitos.
A falta de utilização de material impresso, e principalmente, a falta de incentivo para a utilização dos mesmos, por quem detêm influência e poder para fazê-lo, vem colocando a “geração digital” em um lugar de perigo, pois, sabemos que aquele que não lê, acaba sendo obrigado a assumir como verdade tudo o que lhe dizem.
Buscando colaborar para que essa realidade não se propague às novas gerações, em 2018, juntamente com a direção e coordenação da Escola Dep. Oscar Soares em Alto Garças, desenvolvi atividades de “Contação de Histórias” com alunos do 1º Ciclo do Ensino Fundamental, fase escolar em que a criança aprende a ler. Este projeto surgiu objetivando o despertar do prazer pela leitura desde a mais tenra idade, pois, infelizmente, mesmo nas escolas, é precário o incentivo ao desenvolvimento de práticas e atividades com leitura.
Após essa experiência, e, diante desta conjuntura, penso que desenvolver um modo colaborativo de uso das mídias digitais no processo de mediação pedagógica e de incentivo à leitura em todos os âmbitos e aspectos, pode ser o melhor caminho para a utilização e valorização do imenso acervo bibliográfico que a humanidade vem produzindo desde a invenção da escrita (4.000 anos a.c.).
Ciente dessa realidade, a SEDUC (Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso), propôs a implantação do Projeto Biblioteca Integradora nas unidades escolares estaduais a partir deste ano. Entre outras coisas, o projeto almeja unificar o uso do acervo bibliográfico com os equipamentos do laboratório de informática. Com isso, surge um novo espaço, que contribuirá para uma formação mais integral dos estudantes. Além do que, a interatividade dos dois espaços, possibilitará a potencialização da aprendizagem do mesmo.
Portanto, o trabalho colaborativo das mídias digitais no processo de mediação pedagógica, bem como, a implementação de ações que incentivem a “cultura digital” na comunidade escolar, apresenta-se fundamental às novas gerações, para que, através da apropriação das novas tecnologias, possa ser feito maior usufruto de toda a produção de conhecimento científico. E, não obstante, contribuir para a formação de cidadãos mais pensantes, mais conscientes, mais críticos e participativos em todos os âmbitos da sociedade.

(*) Taiza Quirino Ferreira, graduada em Licenciatura Plena em História pela UFMT\CUR, Vinculada à Secretaria de Cultura de Rondonópolis, desenvolve atualmente Projetos de Extensão de Ensino no Campo das Artes e Memória Local.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here