O Tigrão mostra as garras – O Mago Magro Washington

0

(Homenagem ao ex-jogador Washington, morto recentemente)

(*) Hermélio Silva

Numa bela tarde de domingo
O maior dos sóis descia,
Primeiro abril do novo milênio,
Um caldeirão humano fervia.

Como se o evento
Fosse uma poção mágica,
E os ingredientes, os contendores.
Havia uma plástica muita rica.

Um mago magro,
Dirigindo a varinha de condão,
Adicionava estrelas ao recipiente,
Mexia com os brios do Tigrão.

Um Marechal que mandava,
Reduzia os trabalhadores
Para se levantar o poste.
O time copiou, mesmo com dores.

O time azul, num céu anil.
Os policiais, o estádio
E até a latinha do refrigerante…
Parecia um contágio.

Isso me fez lembrar duma velha Lei:
Quando se quer e deseja com fervor,
Até a natureza
Conspira a favor.

(*) Hermélio Silva é escritor e membro fundador da Academia Rondonopolitana de Letras, cadeira número 6

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here