Ação frustrada: Tentativa de lançar celulares com uso de drone na Mata Grande

2
Material apreendido pela polícia e que possivelmente seria lançado para dentro dos muros do presídio – Foto: Divulgação

Policiais militares frustraram uma possível tentativa de lançar celulares no interior da Penitenciária Major Eldo de Sá, a Mata Grande. O fato ocorreu no início da tarde de ontem (18), após um motorista de aplicativo ter avisado a Polícia Militar (PM) sobre a movimentação dos suspeitos na proximidade do presídio.

Segundo informações da PM, uma guarnição policial foi acionada por um motorista de aplicativo para verificar a movimentação suspeita de dois passageiros seus, que o teriam contatado pouco antes das 11horas da manhã e pedido que os levasse até a entrada de uma estrada de terra que fica a pouca distância do presídio, onde desembarcaram, depois de ter combinado com o motorista que voltasse por volta das 13 horas para buscá-los.

Os dois homens deixaram alguns objetos no interior do veículo, como dois celulares com carregadores e fones de ouvido, além de hélices que possivelmente seriam de um drone, alguns cabos USB e um carregador veicular, que disseram pretender pegar no momento em que o veículo de transporte de passageiros voltasse.

No horário combinado, o motorista de aplicativo foi até o local combinado e encontrou com os dois suspeitos, que pediram para serem levados até a entrada do antigo lixão da Mata Grande, que fica logo atrás do presídio. Ali, eles disseram ao guarda do local que iriam entrar para pegar um drone de sua propriedade que teria caído na área do lixão.

Eles foram informados pelo guarda que não tinha permissão para liberar o acesso de pessoas estranhas, mas, ainda assim, entraram no local e sumiram da vista do motorista de aplicativo. Como não retornavam ao veículo, cerca de uma hora depois o motorista suspeitou da atitude e acionou a PM.

Aos policiais, o motorista contou que não conhecia os dois passageiros suspeitos, mas que se tratavam de dois homens, sendo um de cor branca e estatura mediana, com uma tatuagem na perna e usava bermuda, camiseta e chinelos no momento do ocorrido. O segundo suspeito seria moreno, também de estatura mediana e usava calça, tênis e camiseta no momento, e teria sido chamado de “Cuiabano” pelo outro suspeito.

O motorista e o material apreendido, que possivelmente seria lançado para dentro dos muros do presídio, foram encaminhados para a 1ª Delegacia, sendo que o motorista foi liberado após prestar depoimento e ser lavrado o Boletim de Ocorrência.

Até o momento do fechamento dessa reportagem, nenhum dos suspeitos tinha sido identificado ou preso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here