Papo Político

[email protected]

11
Vereador Subtenente Guinancio: “No tucanato ele seria a preferência para uma pré-candidatura a prefeito, dado a proximidade que teria com Jair Bolsonaro, como militar que também é…”

1 – SENHORES E SENHORAS,

voltando ao assunto sobre as eleições municipais de 2020, mais especificamente no projeto político do PSDB, o qual já anunciou publicamente que tem dois nomes que poderão encabeçar uma candidatura a prefeito, sendo eles os vereadores Rodrigo da Zaeli ou o Subtenente Guinâncio, ao que se comenta nos bastidores do tucanato é que a preferência seria o Subtenente Guinancio, dado a proximidade que teria com o presidente eleito Jair Bolsonaro, como um militar. “Para o novo presidente gravar um video pedindo votos para o subtenente, numa eventual candidatura a prefeito, será muito fácil conseguir”, disse uma fonte do PSDB ao Colunista.

MAS,

diante de um possível apoio como este, como ficaria a possível candidatura a prefeito do PSL, mesmo partido do presidente?. Candidatura esta em Rondonópolis que certamente terá o apoio do deputado estadual delegado Claudinei, o deputado federal Nelson Barbudo e a senadora Selma Arruda. Pelo que se sabe, o PSL já tem nome que representa a NOVIDADE da política e no momento oportuno terá o projeto lançado a público.

2 – RELEMBRANDO

as eleições municipais de 2016, o PSDB não teve sucesso com a sua candidatura majoritária, tendo como candidato o eterno Rogério Salles, que já foi vice-prefeito do ex-prefeito Percival Muniz (PDT) e a sua esposa Marília Salles foi vice-prefeita de Zé do Pátio, em seu primeiro mandato. Além dos cargos de vice-governador que Rogério ocupou, chegando ao poder por alguns meses; como também foi prefeito, assumindo na condição de vice de Carlos Bezerra. Sem dúvida que Rogério sempre se destacou quando ocupou os cargos executivos, como também sempre foi bem votado quando disputou uma eleição, tanto para deputado federal como para senador, mas não conseguindo se eleger. Talvez, a sua pior performance eleitoral foi justamente a eleição que disputou para prefeito em 2016, quando ficou em terceiro lugar, atrás do eleito Zé do Pátio e de Percival Muniz, e por isso ele confessou ao Colunista que estava se aposentando da vida pública, só atuando agora nos bastidores da política.

Será que agora trocando os nomes da candidatura a prefeito poderá surtir um resultado mais favorável ao PSDB nas urnas em Rondonópolis, retirando do partido essa pecha de vice?

3 – NA COLUNA

do domingo passado, falamos do possível rompimento do MDB do bloco de partidos que apoiaram a candidatura do governador eleito Mauro Mendes (Dem). Isso porque o novo governador teria declarado ao cacique deputado federal Carlos Bezerra (MDB), que o governo de Mato Grosso precisa de cortes de gastos e as duas secretarias para o MDB ajudar a governar, prometidas na época das formações das coligações para a campanha, não estariam mais disponíveis, sendo a oferta agora apenas a Secretaria de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (SEAF-MT). Tal fato levou Bezerra a dizer que o MDB estaria fora da gestão. Situação que não acreditamos, pois ao ajudar eleger Mauro Mendes, o MDB saiu fortalecido com a eleição do novo governador e não jogaria isso ao vento. Aqui vale ressaltar que o MDB também está fortalecido em Rondonópolis, agora com o começo do mandato do vereador emedebista Cláudio da Farmácia, como presidente da Câmara Municipal e do Thiago Silva, nome do jovem promissor vereador que eleito deputado estadual, assumindo portanto na Assembleia Legislativa.

4 – NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA,

como falamos na semana passada, realmente se concretizou e o velho foi trocado pelo velho. Estamos falando de políticos já veteranos, como Romoaldo Junior, não reeleito, e o reeleito Allan Kardec. Romoaldo Júnior (MDB) agora está rindo à toa, mesmo derrotado à reeleição, com a indicação de Allan Kardec para a Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Esportes e Lazer (Sectel), ele vai continuar na Assembleia Legislativa, como primeiro suplente. Isso foi para cumprir um acordo de campanha de Mauro Mendes, abrindo espaço para Romoaldo não ficar fora da vida pública.

AINDA

falando da AL, a briga pelas cadeiras na Mesa Diretora continua acirrada. Com a maior votação, que obteve neste ano, em pleitos que disputou (29.959 votos), o deputado estadual Guilherme Maluf continua se articulando para reeditar a chapa à Mesa Diretora, como primeiro-secretário e tendo deputado estadual Eduardo Botelho (Dem) novamente na presidência. Pelo que se comenta nos bastidores, Maluf tem mantido conversações em separado com praticamente todos os deputados eleitos e reeleitos, oferecendo cargos no novo comando da AL. A princípio, Maluf tinha como principal concorrente à Primeira-Secretaria a emedebista Janaína Riva, mas agora, a maior ameaça é Max Russi (PSB), isso porque Max teria apoio do governador eleito Mauro Mendes, mesmo ele tendo apoiado o Pedro Taques na disputa à reeleição. A eleição para dois anos de gestão da Mesa acontece em 1º de fevereiro, logo após a posse dos eleitos.

5 – E DE REPENTE,

durante uma entrevista coletiva à imprensa, na manhã de quinta-feira, 20, o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) abriu o verbo criticando o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Para o prefeito, as expectativas dele para projetos sociais do novo governo brasileiro que começa em 1º de janeiro, não são as mais otimistas, principalmente na área da habitação. Pátio durante sua fala, rasgou a seda para os governos de Lula e Dilma, elogiando de que nos dois governos do PT conseguiu mais de 12 mil casas dos projetos habitacionais. Para o Colunista, estas declarações demonstra a simpatia do prefeito pelos governantes passados. Ainda na avaliação do prefeito, Bolsonaro foi eleito pela população brasileira e tem por obrigação lançar muitos projetos sociais, isso para honrar o apoio que teve nas urnas, no entanto, essa não é a sua expectativa, pois avalia que as primeiras medidas do governo Bolsonaro foram na contramão do social, a exemplo da extinção do Ministério do Trabalho.

6- CONFORME

o A TRIBUNA publicou, ainda nessa entrevista coletiva, o prefeito Zé Carlos do Pátio declarou que seus aliados políticos estão trabalhando a sua aproximação com o governador eleito Mauro Mendes (DEM). “Alimento uma expectativa otimista quanto o novo governo de Mato Grosso. As pessoas que estão comigo estão trabalhando a minha aproximação com o novo governador. Estes que estão ajudando são aliados políticos que apoiam e querem o desenvolvimento de Rondonópolis, assim como eu”, frisou o prefeito. Na nossa opinião, a campanha eleitoral terminou e nada mais justo a união da classe política em prol da população. Com tal fala, o prefeito deu um bom exemplo e agora a expectativa é que o governador Mauro Mendes tenha uma atitude de estadista e ajude a Prefeitura da cidade com os investimentos necessários e neste momento, principalmente, na área da saúde pública, pois além de tudo ele teve expressiva votação em Rondonópolis, mesmo tendo o senador local Wellington Fagundes como também postulante ao cargo de governador.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here