Transferido para Rondonópolis: Médico suspeito de matar esposa atuava faz pouco tempo na cidade

108
Fernando Veríssimo de Carvalho foi preso em Ribeirão Preto – Foto: X-Tudo Ribeirão

Preso em Ribeirão Preto (SP) nesta quarta-feira (19/12), o médico Fernando Veríssimo de Carvalho, de 28 anos, suspeito de matar a mulher dele, Beatriz Nuala Soares Milano, de 23 anos, foi transferido para Rondonópolis na madrugada de ontem (20). Conforme apurado pelo A TRIBUNA, ele residia há cerca de três meses em Rondonópolis e vinha atuando como plantonista no PA Infantil, na rede municipal.

O caso desse médico chamou a atenção especialmente em Rondonópolis, considerando que, quando da morte de Beatriz, possivelmente no dia 24 de novembro, não havia levantado alardes no município. Posteriormente, investigações da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) de Rondonópolis apontaram o médico como o principal suspeito de feminicídio contra a esposa, que estava grávida de aproximadamente 5 meses.

Beatriz foi encontrada morta na casa onde o casal morava, no Bairro Vila Aurora, em Rondonópolis. Segundo informações preliminares da Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec), a mulher teria levado uma pancada na cabeça e sofreu traumatismo craniano. Com o resultado do laudo, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva contra o suspeito, sendo deferida pelo Judiciário e cumprida na cidade paulista.

O médico, por sua vez, ao acionar a Polícia Militar, na manhã do dia 24 de novembro, informou que havia encontrado a mulher morta no quarto da casa onde moravam. Em depoimento à Polícia Civil, ele contou que saiu para jantar com Beatriz na noite anterior e retornou para casa por volta de 23h e que, ao chegar em casa, a mulher foi para o quarto e ele permaneceu na sala, ingerindo bebida alcoólica. Disse ainda que dormiu no sofá da sala e que por volta de 3h acordou e foi até o quarto do casal, onde encontrou a mulher sem vida.

O médico agora deve ficar na Penitenciária Major Eldo de Sá Correa, a popular Mata Grande, até que seja feito o julgamento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here