Mata Grande: Estado promete pagar e volta o café da manhã

12
Diante da promessa do Governo do Estado de pagar os fornecedores, o café da manhã volta a ser servido aos detentos – Foto: Arquivo

Depois que os reeducandos da Penitenciária Major Eldo de Sá Correa, a Mata Grande, e da Cadeia Feminina ficaram sem café da manhã ontem (27) devido a falta de pagamento dos fornecedores por parte do Governo do Estado, o fornecimento da refeição matinal será restabelecido a partir de hoje (28). Isso porque o Governo acenou com a possibilidade de começar a regularizar os pagamentos a partir desta quinta-feira (29), mas ainda assim há a previsão de que o fornecimento do café da manhã seja suspenso em outras unidades prisionais do estado.

Os fornecedores reclamam de atrasos constantes no pagamento das refeições e chegaram a falar em parar de fornecer a alimentação para todo o sistema penitenciário do estado, caso não recebam os atrasados. O corte no fornecimento do café da manhã foi anunciado na última segunda-feira (26) e na manhã de ontem (27) os reeducandos dos presídios de Rondonópolis, tanto o masculino quanto a Cadeia Feminina, e de Cáceres ficaram sem a refeição, que foi a forma encontrada pelos empresários para pressionar o Governo pelo recebimento dos atrasados.

Mesmo com a promessa do Governo de começar a regularizar os pagamentos ainda essa semana, a intenção dos fornecedores é suspender o fornecimento de café da manhã para os presídios da capital Cuiabá e de outras localidades a partir de hoje (28). Esses fornecedores pretendem se reunir no período da tarde para tomar uma decisão conjunta e procurar estabelecer uma interlocução com o Governo do Estado para tentar por fim à situação, que já se arrasta há vários meses.

INSUSTENTÁVEL

De acordo com representantes dos fornecedores, a dívida do Governo já ultrapassa os R$ 20 milhões e a situação está insustentável para os mesmos, que reclamam tanto do atraso quanto da dificuldade de estabelecer um diálogo que possibilite resolver o problema sem afetar a normalidade nos presídios do Estado.

“Já ouvimos rumores de que o secretário vai falar com o governador e há uma conversa de se começar a fazer os pagamentos a partir desta quinta-feira (29), mas é só conversa que ouvimos por aí. Ninguém nos procurou para falar nada oficial e nós todos continuamos mobilizados, pois precisamos resolver logo essa situação. Esperamos ser chamados pelo Governo do Estado para conversarmos e esperamos que essa situação dos nossos pagamentos seja levada mais à sério”, informou um dos representantes dos fornecedores, que preferiu não ser identificado pela reportagem.

Ele ainda completou dizendo que caso os pagamentos não sejam regularizados conforme o prometido essa semana, as empresas poderão suspender parcialmente o fornecimento de outras refeições, até que a situação seja normalizada.

OUTRO LADO

Procurada pela reportagem do A TRIBUNA, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH) confirmou o atraso nos pagamentos dos fornecedores, mas informou que a secretaria não havia sido comunicada sobre possíveis interrupções no fornecimento de café da manhã na capital ou em qualquer outra cidade.

Quanto ao pagamento da dívida com os fornecedores, a assessoria da SEJUDH informou que a Secretaria de Fazenda (Sefaz) prometeu que fará alguns pagamentos ainda essa semana e normalizar a situação em breve.

A SEJUDH informou ainda que a questão da alimentação dos reeducandos e reeducandas é uma prioridade para a secretaria, que faz todos os esforços possíveis para manter esses pagamentos em dia, inclusive passando esse pagamento na frente de outros menos prioritários.

A direção da Mata Grande repassou que não houve nenhum tumulto por conta da suspensão do café da manhã no dia de ontem, até por que o presídio possui uma padaria própria e há uma cantina onde os reeducandos puderam comprar comida. O almoço e a janta estão sendo servidos normalmente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here