Eleições 2018: Todo efetivo da PM e PF estará mobilizado para segurança da votação

Os policiais reforçarão o policiamento em toda a cidade, principalmente nas proximidades dos locais de votação

8
“A recomendação aos candidatos é para que votem e deixem os locais de votação, evitando com isso tumultos e aglomerações”, afirmou a juíza eleitoral Tatyana Lopes de Araújo Borges, da 10ª Zona Eleitoral – Foto: Arquivo

Todo o efetivo da Polícia Militar e da Polícia Federal estará mobilizado para garantir a segurança da eleição que ocorre no próximo domingo (7). Os policiais reforçarão o policiamento em toda a cidade, principalmente nas proximidades dos locais de votação e haverá policiamento fixo nos locais de votação com maior número de eleitores, enquanto as com menor número de eleitores contarão com policiamento rotativo, tudo com vistas a reprimir os possíveis crimes eleitorais e garantir a normalidade do processo.

De acordo com a juíza eleitoral Tatyana Lopes de Araújo Borges, da 10ª Zona Eleitoral, apesar do grande efetivo policial que estará à disposição para garantir a lisura das eleições, as pessoas que flagrarem o cometimento de algum crime eleitoral poderão fazer a denúncia direto à Justiça Eleitoral. “As denúncias poderão ser realizadas por meio do aplicativo Pardal e através do disque denúncia da Ouvidoria da Justiça Eleitoral, pelo número 0800 647 8191”, informou.

Ainda de acordo com a magistrada, as pessoas ou candidatos flagrados cometendo crimes eleitorais serão detidos e encaminhados para a Delegacia da Polícia Federal, onde será feita uma audiência de custódia e poderá ser instaurado processo contra o detido ou detida. “É importante consignar que é proibido, nos dias das eleições, a aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado, com uso de bandeiras, broches, dísticos (palavras de ordem) e adesivos, de modo a caracterizar manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos. Por isso, a recomendação aos candidatos é para que votem e deixem os locais de votação, evitando com isso tumultos e aglomerações”, completou.

Ela ainda informou que no dia da eleição é proibido a distribuição de “santinhos”, que só é permitida até as 22 horas do dia anterior. Outra conduta vedada no dia da eleição é a “boca de urna”, que é a distribuição de material de propaganda política ou a prática do aliciamento do eleitor. “O ato é crime punível com detenção de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período e multa. O crime também ocorre se praticado no dia da eleição e não se limita ao horário da votação, mas ao dia inteiro, uma vez que a lei visa proteger a tranquilidade e a ordem pública eleitoral no dia do pleito e pode ser praticado em qualquer lugar, inclusive na área rural, e não apenas nas proximidades das seções eleitorais”, informou a juíza Tatyana Lopes de Araújo Borges.

Ela ainda aproveitou para alertar para o fato de que o transporte de eleitores e o fornecimento gratuito de alimento para os mesmos também é proibido pela lei e pode ser punido com pena de reclusão de quatro anos a seis anos e pagamento de multa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here