O último poema

(*) Jakson Aguirre

0

Eu sei em um momento qualquer, meus dias nesta terra findarão,
O anjo da morte me abordará e dirá que minha hora chegou,
delicadamente em um sorriso pedirei alguns minutos,
pegarei uma caneta e um papel, rabiscarei poucas palavras,
escreverei com muito amor! Meu último poema.

Serei breve e dele não tomarei tempo, pois a morte deveras não me assusta,
Para estar diante de Deus e o louvando, chegarei ao céu e com certeza receberei minha coroa, em
festa! Serei recebido pelos anjos celestiais,
Mas antes ficarei no paraíso,
A esperar pelo sublime momento,
De estar com o criador.

Não serei lembrado aqui pela riqueza nem pelo que fiz, serei lembrado pela luta que travei para
deixar um pouquinho melhor o mundo em que vivemos.
Expus a minha vida, para mostrar que com amor,
Tudo é capaz,
Que com caráter de bondade, de amor e honestidade,
Legado de verdade e não de mentira,
De paz e não de guerra,
Entretanto enquanto aqui estiver viverei intensamente o verdadeiro amor.

O amor que não se cala, não se abala com o ódio, não se desfaz com a inconstância,
Pois o verdadeiro amor é mais lindo que o azul do céu, mais sólido que o diamante,
É indescritível, penetrante e incompreendido, que só os loucos o entendm.

(*) Jakson Aguirre é escritor e poeta em Rondonópolis

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here