Prefeito Zé Carlos do Pátio: “estou constrangido com a postura destes empresários, que estão pensando só neles e não na cidade” – Foto: Arquivo

O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) revelou nesta semana à reportagem do Jornal A TRIBUNA que ainda não assinou e entregou o ofício de anuência da gestão municipal para a obra de duplicação do trecho entre o Trevão e a Cervejaria Petrópolis, na BR-163, para a Rota do Oeste porque está com dificuldade de relacionamento com os representantes da concessionária quanto ao atendimento dos pedidos de melhorias na mobilidade urbana no trecho urbano da rodovia. Sem um acordo, a empresa fica impedida de começar o serviço, mesmo com os recursos assegurados e o projeto pronto.

“Para dar anuência para as obras nesse trecho da BR-163, as principais exigências são para a área de mobilidade. Não posso negar que é muito difícil conversar com a Rota do Oeste, é uma empresa que estamos com dificuldades de conduzir o processo. Como prefeito, estou lutando para resolver os problemas da travessia urbana, mas constrangido com a postura destes empresários, que estão pensando só neles e não na cidade. Tudo que coloco no papel para conversar com eles é posto dificuldade”, justificou-se ao Jornal A TRIBUNA.

De acordo com prefeito, a travessia urbana é uma passagem para caminhões, veículos de passeios e motocicletas, além disso, dos pedestres. “Para atender a mobilidade deste trecho ainda é preciso uma discussão ampliada sobre os problemas. Hoje, a concessionária está com uma proposta para o viaduto que é fora dos padrões. Além de obedecer aos padrões, ainda precisamos na travessia de passagens para pedestres e ciclovia”, revelou Zé do Pátio.

A duplicação do trecho entre o Trevão e a Cervejaria Petrópolis, na BR-163, será realizada pela empresa Rota do Oeste, que tem a concessão da rodovia. Conforme reportagem publicada pelo A TRIBUNA no dia 12 de julho, a obra deveria começar em 15 dias, mas, passados 30 dias do anúncio, o serviço não teve início. Na semana passada, a concessionária apontou o prefeito como o responsável pelo atraso das obras.

O projeto da Rota do Oeste prevê, além da duplicação, a construção de vias marginais, retornos e a remodelação do Trevão. Conforme apurado, a Prefeitura também solicitou adaptações para o tráfego de carretas no futuro viaduto e drenagem de água pluviais no entroncamento das duas rodovias federais, BR-163 e BR-364.

1 COMENTÁRIO

  1. duvido muito que a Rota tenha apresentado algum projeto que não seja no mínimo 200% superior a qualquer obra que a prefeitura da cidade faça, basta olhar tudo que é feito nos ultimos anos aqui, tudo caindo aos pedaços depois de 1 ou 2 anos. O Zé está com credibilidade zero….

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui