Recuperação do Anel Viário sem prazo para acontecer

Há anos que o Jornal A TRIBUNA vem mostrando a crítica situação do pavimento dessa via que circunda a cidade

11
Foto: Denilson Pares/A TRIBUNA

A situação precária do Anel Viário de Rondonópolis, em que alguns trechos não permitem sequer que o motorista trafegue pela pista, sendo necessário utilizar uma espécie de rua de chão na lateral para passar, continua a preocupar os motoristas e causar indignação. Recentemente, o trecho do Anel Viário entre o entrocamento com a MT-130 e a BR-364, considerado o mais problemático, recebeu serviços de tapa buracos. Contudo, as áreas que mais necessitam de serviço, em que nitidamente apenas o tapa buracos não pode resolver, ficaram para trás. A reportagem questionou a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra/MT) sobre previsão de obras nesses trechos não contemplados, mas a resposta não foi animadora.

Segundo a Sinfra, a pasta projeta uma redução de R$ 28 milhões na manutenção de quatro mil quilômetros de rodovias pavimentadas e 21 mil km em estradas não pavimentadas, até o ano de 2019, resultado da decisão do Governo Federal em zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), que incide diretamente na retirada de investimentos das estradas estaduais, já que ele seria a principal fonte de recursos para a realização dos trabalhos nas rodovias estaduais. Sem o Cide, conforme a Sinfra, o Estado terá que fazer aporte com recursos próprios para a manutenção das rodovias pavimentadas ou não, não descartando a possibilidade de utilizar valores do Fethab ou mesmo do Tesouro do Estado.

Trecho mais crítico fica localizado entre Vila Mineira e o bairro Carlos Bezerra – Foto: Denilson Pares/A TRIBUNA

A pasta ainda informou que realiza estudos para determinar quais obras serão impactadas diretamente com o corte da Cide, e reelaborar um novo cronograma financeiro. “Diante dessa realidade, informamos que será reavaliada a possibilidade de iniciar trabalho de manutenção do trecho informado, após envio de uma equipe técnica para avaliar quais medidas serão tomadas para minimizar a situação do Anel Viário”, diz a nota da Sinfra enviada ao A TRIBUNA.

Atualmente, o trecho de 10km entre o Jardim das Flores e a BR-364 apresenta buracos e asfaltamento altamente deteriorado, sendo necessário que motoristas trafeguem pela contramão, ou até mesmo utilizando acostamento improvisado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here