Apresentação da proposta foi ontem na Câmara Municipal
Apresentação da proposta foi ontem na Câmara Municipal

Apresentacao da proposta foi ontem na Camara Municipal - 28-03-17- 28-03-17

De acordo com os defensores da proposta, a chipagem é importante para identificação e localização dos animais, funcionando também como um inibidor do abandono.
Um projeto de lei que deverá ser apresentado pelo Poder Executivo para análise e posterior aprovação dos vereadores, prevê a obrigatoriedade de implantação de microchips em cães e gatos de Rondonópolis. A minuta do projeto foi apresentada ontem aos vereadores durante a reunião da ordem do dia pelo gerente de vigilância ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, o médico veterinário Kleysller Willon.
Conforme foi informado durante a reunião, Rondonópolis possui uma população de cães e gatos estimada em 40 mil animais. Cada chip, atualmente, custa em torno de R$ 12. De acordo com o que está previsto na minuta da lei, se aprovada, cães e gatos que possuem proprietários anteriormente à data de publicação da lei, terão o prazo de 12 meses para serem chipados.
De acordo com o médico veterinário Kleysller Willon, a nova lei também estabelece normas para castração, eutanásia e posse responsável de animais, além de proibir o abandono de cães e gatos. “O primeiro passo é o cadastro de cães e gatos num projeto de saúde animal. A princípio, a identificação dos animais será com placas de inox e depois com chips. Com a chipagem se consegue chegar ao proprietário e, se for caso de abandono, com o equipamento também saberemos essa situação e o animal será encaminhado pelo município para o seu devido lugar”, disse o veterinário.
Para Sueli Sanabri, do grupo “Castração do Bem”, o projeto vem de encontro ao que as entidades de proteção dos animais de Rondonópolis almejam. “Com a castração, evita-se a superlotação de animais abandonados na cidade. A chipagem é importante para identificação e localização dos animais, funcionando também como um inibidor do abandono, que em muitos casos são adotados e depois abandonados novamente, pois conheço casos de animais recolhidos pela nossa Ong que já foram adotados e abandonados por cinco vezes”, afirmou Sueli Sanabri.

 

1 COMENTÁRIO

  1. TEM TAMBÉM A QUESTÃO DOS DONOS DE CACHORROS QUE LEVAM OS MESMOS PARA PRAÇAS E JARDINS, PARA QUE SIRVAM DE DEJETOS DESSES ANIMAIS. TEM VÁRIAS PESSOAS QUE SOLTAM SEUS ANIMAIS PARA CAGAREM NOS LOCAIS PÚBLICOS…..

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here