Vazamentos frequentes de esgoto no Rio ocorrem desde o dia 18 de setembro - Foto: Arquivo
Vazamentos frequentes de esgoto no Rio ocorrem desde o dia 18 de setembro – Foto: Arquivo

O Rio Vermelho teve, novamente, esgoto lançado sem tratamento em seu leito pelo Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear). O fato aconteceu na última terça-feira (11) no período noturno, e foi registrado por pescadores por meio de celulares. O vídeo com a vazão de esgoto circula pelas redes sociais.
Conforme informações obtidas pela reportagem, o problema aconteceu devido ao rompimento de uma tubulação de esgoto, na obra da nova estação elevatória que está sendo construída no Jardim Maracanã, e que ainda está sob a responsabilidade da empreiteira.
Durante a escavação, a tubulação foi rompida e o esgoto vazou. A informação é de que a empreiteira contratou caminhões limpa-fossa e fez a sucção dos efluentes no local, sem que o mesmo fosse lançado em nenhum canal, córrego ou rio. “A tubulação em ferro fundido teve que ser soldada e para isso a mesma deveria estar seca para evitar acidente com os trabalhadores envolvidos e para viabilizar tecnicamente a solda. Por isso, a elevatória teve que ser desligada. O funcionamento da elevatória já está normalizado”, diz a nota do Sanear.
Contudo, o desligamento da rede para solucionar o problema da elevatória do Maracanã, acabou provocando o extravasamento de esgoto na elevatória da Vila Canaã, a mesma que já havia registrado problemas nos últimos dias. Com a rede desligada, a elevatória encheu demais e o extravasamento aconteceu, de acordo com fontes da reportagem, por aproximadamente 5 minutos.
Até o momento, foram ajuizadas duas ações civis públicas contra o Sanear, o Município de Rondonópolis, a Energisa e o Governo do Estado, referente aos lançamentos de esgoto ocorridos desde o último dia 18 de setembro.
Por conta desses lançamentos, 25 quilômetros do Rio Vermelho, abaixo do Córrego do Bambu, estão impróprios para banho, consumo de água e peixes. Além disso, investigações estão sendo realizadas pela Polícia Civil (PJC), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) e o Ministério Público de Mato Grosso (MPE).
Em contato com o MPE em Rondonópolis, a informação é de que o órgão já tem conhecimento do novo vazamento de esgoto registrado esta semana. Já o Juizado Volante Ambiental (Juvam), aguarda o comunicado do MPE, que move a ação civil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui