Com sala de embarque cheia, fila de passageiros fica à espera do lado de fora
Com sala de embarque cheia, fila de passageiros fica à espera do lado de fora

Usuários continuam reclamando dos constantes transtornos provocados por causa da estrutura ainda deficiente do Aeroporto Municipal de Rondonópolis: o Marinho Franco. Entre a noite desta quarta-feira (25/11) e a madrugada de ontem (26), um blackout deixou o espaço totalmente às escuras, cancelando voos previstos para chegar ou sair de Rondonópolis neste período. A situação deixou algumas pessoas revoltadas.
Com o apagão, um voo da Passaredo vindo de Brasília que chegaria em Rondonópolis às 22h50 de quarta-feira teve que ser deslocado para pousar em Cuiabá. Outro voo da Passaredo saindo de Rondonópolis às 2h de ontem com destino a São Paulo foi cancelado. Um terceiro voo da Passaredo sofreu um atraso na saída de Rondonópolis pela manhã de ontem.
Morador de Rondonópolis, Silvano Defensor Amaral chegou a produzir alguns vídeos de celular com o registro do apagão, por volta de 01h da madrugada de ontem. Ele conta que a falta de energia elétrica no local começou a partir das 21h e que, até o horário previsto para o embarque do voo para São Paulo, por volta das 2h, os passageiros estavam chegando e nem ao menos sabiam o que estava ocorrendo.
Silvano reclamou ao Jornal A TRIBUNA que essa situação de descaso vem ocorrendo constantemente no Marinho Franco. “Enfatizo que estes tipos de transtornos viraram rotina no aeroporto em caso de mau tempo; as aeronaves não conseguem pousar e deslocam-se para Cuiabá, como ocorreu conosco agora. Saímos de van de Rondonópolis por volta das 03h e acabamos de chegar em Cuiabá, mas não sabemos a que horas vão conseguir nos alocar em algum voo…”, informou ele, na manhã de ontem.
APERTO – Com o aumento crescente no movimento e a inclusão de aeronaves maiores, como da Azul no voo para Campinas, outra reclamação recorrente tem sido em relação ao espaço extremamente exíguo da sala de embarque do Aeroporto Municipal de Rondonópolis. Principalmente neste voo da Azul, às 9h50 da manhã, a reclamação da falta de espaço da sala de embarque é geral. A situação tem gerado constantes constrangimentos entre os usuários do recinto.
Nessas ocasiões, o embarque para a aeronave tem que ser feito por etapas, pois a sala de embarque do Aeroporto de Rondonópolis não comporta a todos de uma vez. Primeiramente, entra uma leva de passageiros e, ainda assim, muita gente fica em pé na sala de embarque. O restante dos passageiros fica na fila no lado de fora, sem conseguir entrar no espaço. Assim que inicia o embarque, a sala se esvazia e, então, a segunda leva de passageiros consegue entrar e também seguir voo.

Imagem mostra sala de embarque lotada e com muitos passageiros em pé
Imagem mostra sala de embarque lotada
e com muitos passageiros em pé

PROVIDÊNCIAS – O secretário municipal de Trânsito e Transportes, Argemiro Ferreira, respondeu ao Jornal A TRIBUNA que mesmo os grandes aeroportos do Brasil sofrem com cancelamentos de voos por ocasião de mau tempo e problemas diversos. Quanto ao apagão registrado no Aeroporto de Rondonópolis, ele observou que a cidade teve nesta noite um grande temporal e que a região do espaço aeroportuário sofreu uma série de fortes oscilações na energia elétrica.
Além disso, o secretário municipal explicou que uma descarga elétrica queimou uma placa do gerador do Aeroporto de Rondonópolis, não havendo energia suficiente para a demanda necessária. Ele observa que esse gerador garante, em queda de energia, o funcionamento de estruturas como o balizamento, a EPTA, a biruta, o farol rotativo e 10% do terminal de passageiros. Com isso, os voos em questão tiveram que ser cancelados ou relocados, explicando que não há condições de fazer a manutenção no gerador no período noturno. No entanto, afirmou que logo na manhã de ontem o problema já estava resolvido.
Em relação à sala de embarque, Argemiro informou que a equipe técnica da Prefeitura está trabalhando nos projetos de engenharia e arquitetura e que, dentro em breve, será efetivada uma pequena ampliação desse espaço reclamado. Trata-se de uma obra paliativa considerando que existe um projeto de construção de um novo terminal de passageiros para o Aeroporto de Rondonópolis, através de um programa do Governo Federal.
Também informou que continuam em andamento os procedimentos necessários para instituição do RNAV no aeroporto de Rondonópolis, o que garantiria a operação dos pousos e decolagens totalmente com auxílio de instrumentos.

1 COMENTÁRIO

  1. Isso é brincar com vidas humanas, a primeira cidade em arrecadação de todos os municípios de Mt. É falta de gestão e respeito e pouco caso com os empresários com a cidade e a população deste município tão produtivo e capital do agronegocio. Gente até quando vamos ficar neste barco à deriva.Isso é uma vergonha. Sinop saiu na nossa frente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here