Além do trabalho de repressão que vem sendo realizado pela polícia, os produtores podem atuar na prevenção dessas ocorrências nas propriedades
Além do trabalho de repressão que vem sendo realizado pela polícia, os produtores podem atuar na prevenção dessas ocorrências nas propriedades

Esta semana uma quadrilha acusada de furtar gado na baixada cuiabana foi desarticulada pela polícia civil de Mato Grosso. No momento da prisão, os integrantes do grupo estavam em um caminhão com dez cabeças de gado Nelore PO, avaliadas em R$ 80 mil. No mês de junho, outra quadrilha que atuava no roubo a gado e defensivos agrícolas em Barra do Bugres foi desmontada na região. Aumento de ocorrências como essas na zona rural de Mato Grosso preocupa os produtores.
“Nós produtores nos sentimos inseguros e vulneráveis às ações de quadrilhas como essas, uma vez que as propriedades, na maioria das vezes, é afastada da cidade. Além do prejuízo material, ainda fica o trauma, pois os assaltantes agem com violência e usam armamento pesado”, afirma o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado.
Segundo a secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso, no ano passado foram registrados 1.112 casos de roubos e 126 de furtos em propriedades rurais do Estado. Para combater esses crimes, a polícia civil tem realizado operações em diversas regiões de Mato Grosso. “Estamos sempre em contato com o governo, por meio da secretaria de Segurança, e acreditamos que a inteligência da polícia está empenhada em desmanchar as organizações criminosas que atuam na zona rural”, acrescenta Prado.
O município de Cáceres foi um dos que mais sofreu com roubos e furtos na zona rural em 2014. Para o presidente do Sindicato Rural, Márcio Lacerda, a localização é um dos principais motivos que faz o município ser alvo desses crimes. “Cáceres está localizada na faixa de 150 km de fronteira com a Bolívia, infelizmente temos que viver em alerta”.
Além do trabalho de repressão que vem sendo realizado pela polícia, os produtores podem atuar na prevenção dessas ocorrências. “Conhecer os funcionários da fazenda, dificultar o acesso à propriedade, colocando cadeados nas porteiras, ter cães de guarda e investir em segurança privada são algumas medidas que os produtores devem tomar para não se tornarem alvos de bandidos”, orienta o presidente do Sistema Famato/Senar.
Outra recomendação importante para evitar roubos de gado é o produtor reservar os pastos mais vulneráveis, aqueles longe da sede e próximos às estradadas ao gado mais fraco. “É importante que o gado mais visado esteja em um local mais seguro”, acrescenta Prado.
O presidente reforça também a importância de o produtor evitar manter na fazenda grandes quantidades de insumos e defensivos agrícolas. “Esses produtos são caros e visados pelos criminosos, então é prudente que a armazenagem não seja feita na propriedade. Se isso for imprescindível, orientamos que seja feita em um galpão seguro, com câmeras, grades, alarmes e demais itens de segurança”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here