ronaldo batista alves pinto - presidente da oab2 - 29-04-14

Em resposta à matéria: “Abaixo a corrupção. Fora toda a diretoria da OAB”, publicada pelo advogado Dr. Edno Damascena de Farias, em 17/03/2015 no Jornal A TRIBUNA, coluna Opinião do Leitor.
Ao Dr. Edno Damascena de Farias, advogado militante na defesa de seus clientes, dirigimos essas palavras para esclarecer que, independentemente de sua ideologia partidária, o que não nos interessa, vimos externar a indignação como representante da Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção de Rondonópolis, pelo título dado a matéria “Abaixo a corrupção. Fora a diretoria da OAB”, num intuito claro em confundir os eleitores com relação às manifestações de protestos realizadas no dia 15/03/2015, onde a OAB/MT participou, com orgulho, desse momento democrático.
O direito de expressar a opinião é uma garantia constitucional, o senhor exerceu a sua, porém esse exercício não lhe autoriza a imputar aos participantes daquele encontro cívico a pecha de alienados, hipócritas, idiotas ou imbecis, pois todos sabemos que ali se encontravam os mais diversos representantes da sociedade, que seguramente não podem ser taxados com expressões tão duras quanto estas.
Os protestos realizados em todo o Brasil deixam claro que parte da população não está contente com os desmandos do governo em qualquer esfera, portanto, suas alegações sobre o local do encontro, as ruas pelas quais percorreram entre outros impropérios, e que somente poderiam acontecer em locais em que o nome sugeriria o objetivo da passeata, ex: Rua da Constituição, Praça da República, Av. da Honestidade, etc., não refletem a realidade atual da opinião pública.
Não estamos aqui questionando sua posição política, visto que somos sabedores do seu movimento partidário, contudo, qualquer opinião emitida onde se deixem dúvidas, sobre a entidade que V.Sa. inclusive faz parte, de que a OAB/MT também está maculada pela corrupção, não podemos aceitar.
Durante os 2 (dois) anos e 3 (três) meses desta gestão à frente da 1ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Rondonópolis, não visualizamos sua presença em nossa instituição uma única vez, sequer para criticar ou fazer reinvindicações, sugestões, etc. E falta de convite não foi, já que e-mail, publicações em redes sociais, convidam os advogados(as) a participarem ordinariamente da reunião mensal, que ocorre toda primeira segunda-feira de cada mês, onde, entre outras coisas prestamos as informações sobre o andamento da OAB/MT, inclusive as financeiras.
Ademais as prestações de contas estão disponíveis, para todos, na sitio eletrônico www.oabmt.org.br, onde V. Sa. pode e poderá, sempre que achar necessário acessar o conteúdo sobre a prestação de contas (financeira) da instituição, portanto, afirmar que o dinheiro arrecadado pela OAB/MT não respeita o princípio da transparência e gestão pública, não podemos aceitar.
A Ordem dos Advogados do Brasil, 1ª Subseção de Rondonópolis, vem a público repudiar veementemente vossas alegações, notadamente porque não acompanha e participa da instituição e sequer formalizou qualquer requerimento de informações sobre as receitas e despesas financeiras da instituição, informações estas disponibilizadas publicamente para aqueles que se interessam.

(*) Ronaldo Batista Alves Pinto, advogado OAB/MT 7.556-B, presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Rondonópolis – MT.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui