Reunião realizada ontem na Prefeitura discutiu os procedimentos para concluir centro anexo ao campus local da UFMT
Reunião realizada ontem na Prefeitura discutiu os procedimentos para concluir centro anexo ao campus local da UFMT

Uma nova reunião traçou metas para, enfim, providenciar a conclusão do Centro de Abastecimento e Laboratório de Origem Animal e Vegetal (antigo Centro de Apoio e Capacitação do Agricultor Familiar), anexo ao campus local da UFMT. A intenção agora é informar até o próximo dia 10 de março o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) quanto à data da licitação e, após o processo licitatório, iniciar as obras pendentes em no máximo 15 dias.
A reunião ontem contou com o secretário municipal de Infraestrutura de Rondonópolis, Melquíades Netto, o secretário municipal de Agricultura e Pecuária, Renato Mendes, o delegado federal de Desenvolvimento Agrário em Mato Grosso, Nelson Borges, o representante do senador Wellington Fagundes, autor da emenda dos recursos, Zé Márcio Guedes, e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rondonópolis, Valdivino Tomaz. “Tenho certeza que a obra agora sai. O prefeito tem cobrado essa obra desde o começo do mandato”, externou Renato Mendes ao Jornal A TRIBUNA.
Conforme Renato Mendes, em junho do ano passado, também foram estabelecidas metas para a conclusão do centro, mas não houve avanços. Ele explica estava na dependência da liberação dos recursos necessários pela Caixa Econômica Federal, sendo que essa liberação ocorreu recentemente. O secretário informa que a Caixa deu um prazo para conclusão dos serviços até 30 de junho próximo. Para cumprir a meta, externa que será dada prioridade ao projeto, considerando que o centro vai atender a UFMT, agricultores familiares e seus filhos, e a comunidade local.
Segundo a Prefeitura, o edital para a licitação das obras dependentes está pronto. A Secretaria Municipal de Infraestrutura também já aprovou as planilhas de preço para a retomada da obra do centro.
Até agora foram executados 71% da obra do prédio, que contará com laboratórios e câmaras frigoríficas. A meta é retomar os serviços com um remanescente de R$ 747 mil.
A UFMT deve firmar parceria com a Prefeitura para utilizar o laboratório nas aulas práticas de vários cursos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui