Estação Privada de Telecomunicações e Tráfego Aéreo (EPTA) montada em Rondonópolis
Estação Privada de Telecomunicações e Tráfego Aéreo (EPTA) montada em Rondonópolis

Após as informações dando conta de que o aeroporto de Rondonópolis não teria condições de receber novas operações aéreas, assim como corria o risco de ter suspensas as atuais, a Prefeitura de Rondonópolis repassou esclarecimentos técnicos ao Jornal A TRIBUNA sobre o funcionamento dessa estrutura de transportes localizada no município.
Primeiramente, o Município diz que o órgão regional do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), no caso o CINDACTA I, homologou a implantação e a operação de uma EPTA (Estação Privada de Telecomunicações e Tráfego Aéreo) Categoria “A” ou, simplesmente, uma Estação Rádio em Rondonópolis. A função desse órgão ATS (sigla em inglês que significa Serviço de Tráfego Aéreo) é não confundir o Serviço de Controle de Tráfego Aéreo. Isso significa oferecer às aeronaves que pousam e decolam no aeroporto, informações referentes às condições de meteorologia existentes no aeroporto, caracterizando essa operação em condições visuais (realidade atual) ou por instrumentos.
Para a operação IFR (sigla em inglês que significa Regras de Voo por Instrumentos), argumenta que os procedimentos, baseados em equipamentos no solo ou navegador GPS, precisam ser homologados pelo DECEA, através do CINDACTA e do ICA (Instituto de Cartografia Aeronáutica), que edita e publica os procedimentos e os disponibiliza na rede de Informações Aeronáuticas. Nisso, é preciso a contratação de Empresa portadora de CET (Certificado de Especialização Técnico-Operacional), expedido pelo DECEA depois de cumpridos os ritos da legislação. A Prefeitura afirma que esse processo já está em andamento na cidade, mas ainda demanda ajustes com a autoridade aeronáutica.
Nesse meio tempo, o Município diz que a ANAC (Agencia Nacional de Aviação), prudente quanto à liberação de HOTRAN (Horário de Transporte), tem autorizado e assim continua fazendo voos comerciais para Rondonópolis, mesmo antes da existência da Estação Rádio. “Não cabe dizer que Rondonópolis não cumpre com o previsto na legislação, em razão desta ou daquela deficiência. Se assim fosse, a ANAC ou o ComAer (Comando da Aeronáutica) já teriam interditado ou cancelado as operações no Aeroporto. Tanto não são factíveis as afirmações que, de forma modesta e leigamente estão sendo veiculadas em Rondonópolis, que o CINDACTA homologou um órgão ATS no Aeroporto, ou seja, uma EPTA – ou Estação Rádio”, explicam.
“Seria muito amador se, conforme se propaga, uma das empresas que atualmente voa em Rondonópolis resolvesse deixar de operar exatamente no momento em que uma EPTA e procedimentos para operação de instrumentos estão sendo implantados. Em se tratando de segurança, Rondonópolis reúne as condições apropriadas para as atuais e futuras operações aéreas”, acrescenta a equipe da Prefeitura, assegurando as providências para a oferecer segurança nas operações e resultados para a comunidade.

1 COMENTÁRIO

  1. Não consigo entender tanta burocracia para uma liberação de linhas aéreas em Rondonopolis,uma cidade com um movimento como Roo,a muito tempo atrás tínhamos uma malha de Araçatuba a Roo,sem qualquer impedimento,será que os políticos de Rondonopolis não estão preocupados com aqueles que precisão se locomover de SP, principalmente aqueles que têm negócios ou parentes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui