A cena desta imagem não se repetiu nas eleições municipais de 2012 em Rondonópolis. Intenção é que ela não ocorra novamente nas eleições de 2014 na cidade
A cena desta imagem não se repetiu nas eleições municipais de 2012 em Rondonópolis. Intenção é que ela não ocorra novamente nas eleições de 2014 na cidade

A Justiça Eleitoral vem se preparando para por em prática novamente, nas eleições de outubro de 2014, o projeto “Cidade Limpa”, realizado com sucesso nas eleições municipais de 2012 em Rondonópolis, impedindo que a cidade ficasse repleta dos tradicionais “santinhos” dos candidatos nas vias públicas, em especial nas proximidades dos locais de votação. Inclusive, a Justiça está aberta a sugestões da sociedade a fim de aprimorar a campanha.
A juíza da 10ª Zona Eleitoral de Rondonópolis, Maria Mazarelo Farias Pinto, avaliou, em documento encaminhado ao Jornal A TRIBUNA, que o projeto “Cidade Limpa” revelou-se um marco importante na história das eleições em Rondonópolis, tornando-se matéria de divulgação na mídia nacional e destaque no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesse documento, a magistrada anota que o êxito da campanha revela, ainda, o grau de comprometimento não só dos candidatos, comitês partidários e partidos políticos envolvidos, mas também das autoridades públicas, da sociedade civil organizada e do cidadão residente, posto que o resultado alcançado reflete-se em benefício de todos.
Em virtude da realização da nova edição do projeto “Cidade Limpa”, a 10ª Zona Eleitoral está recebendo propostas de melhoria da campanha anterior, de boas práticas que se tenha conhecimento, sugestões para o recolhimento e descarte do material de campanha (santinhos, cartazes, folders e demais materiais gráficos), entre outros apontamentos que venham contribuir para novos resultados positivos. Essas propostas e sugestões podem ser enviadas até esta sexta-feira (22/08), para o Cartório da 10ª Zona Eleitoral, na Rua Fernando Correia da Costa, 253, Centro, ou ainda por meio do correio eletrônico [email protected] .

Juíza Maria Mazarelo: projeto revelou-se um marco importante na história das eleições em Rondonópolis
Juíza Maria Mazarelo: projeto revelou-se um marco importante na história das eleições em Rondonópolis

Por ocasião da repetição da campanha, o Jornal A TRIBUNA propõe, visando uma maior amplitude e maior participação da sociedade, considerando ainda o uso recorrente das tecnologias digitais na atualidade, a criação de uma estratégia que seria chamada de “Fiscal Cidadão”, utilizando-se o aplicativo para troca de mensagens em aparelhos celulares WhatsApp. Com isso, todos os cidadãos com interesse seriam suscitados a participar do projeto “Cidade Limpa”, enviando fotos e/ou mensagens com denúncias, reclamações e sugestões relativas ao propósito. Nesse sentido, através da disponibilização de um número de celular com WhatsApp, cada cidadão atuaria como uma espécie de fiscal da iniciativa, começando nesse período de campanha eleitoral e findando no dia da votação. Vale enfatizar que essa é apenas uma sugestão feita pelo A TRIBUNA, não tendo sido acatada de forma oficial pela Justiça Eleitoral. Da mesma forma, outras pessoas podem contribuir com a causa.
Além dessa fase de coleta de sugestões, a 10ª Zona Eleitoral já definiu que as novas diretrizes da edição do projeto “Cidade Limpa” serão apresentadas à sociedade em audiência pública a ser realizada no dia 12 de setembro de 2014, às 9h da manhã, no auditório do Centro Integrado de Ensino (CIE), na Rua Joaquim de Oliveira, na Vila Aurora.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here