O sistema parou de funcionar em janeiro de 2012 após problemas técnicos ocasionados pela falta de manutenção
O sistema parou de funcionar em janeiro de 2012 após problemas técnicos ocasionados pela falta de manutenção

O vereador Thiago Silva (PMDB) usou ontem a tribuna da Câmara Municipal, durante a sessão ordinária, para cobrar novamente do poder público a reativação das câmeras de segurança que estão sem funcionar na cidade há quase dois anos. A reativação das câmeras, segundo o parlamentar, vai reforçar o trabalho do Centro de Controle, Comunicação e Inteligência (C3i).
“O (C3i) já está em funcionamento, mas em fase experimental. Em maio, o advogado Anderson Rocha, do Gabinete de Gestão de Apoio à Segurança Pública anunciou que esperava o funcionamento do C3I para a reativação das câmeras, mas até agora a prefeitura não se manifestou. Os comerciantes da área central estão tendo prejuízos com roubos e furtos que poderiam ser inibidos com o ajuda do sistema de monitoramento”, argumenta o peemedebista.
Conforme o vereador, o sistema parou de funcionar em janeiro de 2012 após problemas técnicos ocasionados pela falta de manutenção. “Os problemas começaram a se agravar desde meados de 2011, quando houve o encerramento do contrato de manutenção do sistema com a empresa que havia instalado os equipamentos”, lembrou.
O sistema de monitoramento eletrônico por câmeras foi inaugurado em Rondonópolis no dia 1º de julho de 2010, pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública e a Prefeitura de Rondonópolis. O investimento foi da ordem de R$ 1 milhão. “Vejo, com tristeza, que um projeto que custou tão caro está desativado na cidade até hoje”, externou o vereador.
Foram anunciadas, na ocasião, 26 câmeras de videomonitoramento instaladas na região central, saídas e entradas da cidade e pontos estratégicos. A intenção era que o sistema funcionasse de forma proativa, reagindo antecipadamente e evitando que a ação delituosa ocorresse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui